Estratégia Cocoon: o que é e tudo que você precisa saber

Quando há a espera de um bebê, diversas providências são tomadas no núcleo familiar para preparar a sua chegada, dentre elas a Estratégia Cocoon.

Além das roupinhas lavadas, o quarto arrumado e o enxoval completo, entre outras atividades, devemos nos atentar, principalmente, à saúde da gestante e do bebê. E é por isso que vamos falar sobre a estratégia que envolve a vacina Tríplice Bacteriana.

A vacina Tríplice Bacteriana é utilizada para crianças acima de 4 anos de idade e protege contra três doenças: difteria, tétano e coqueluche. Para os adultos, ela é recomendada como reforço da tríplice tomada quando crianças, com dose recomendada de 10 em 10 anos.

Crianças mais novas, geralmente, recebem essa vacina combinada a outras nas formulações Pentavalente Celular (DTPw+Hib+hepatite B) na rede pública ou Pentavalente Acelular (DTPa+Hib+VIP) e Hexavalente (DTPa+Hib+VIP+hepatite B) na rede privada.

A Tríplice Bacteriana Acelular (dTpa) é preferível no lugar da vacina dupla tipo adulto (dT) que só contempla difteria e tétano.

Como funciona a Estratégia Cocoon?

Esta vacina tem enorme importância para a Estratégia Cocoon, nome dado ao bloqueio vacinal em proteção ao recém-nascido contra a coqueluche – cocoon significa “casulo”, em inglês.

Como funciona? Como os bebês recebem a vacina com doses aos 2, 4 e 6 meses de idade, sendo que a melhor proteção só “vinga” duas semanas após a última dose, é preciso que os parentes mais próximos, assim como cuidadores dos recém-nascidos, estejam protegidos contra a coqueluche, evitando a transmissão da doença.

Portanto, pais, irmãos, avós, tios, padrinhos, babás, enfim, todos que tiverem contato mais próximo deverão se vacinar para se prevenirem contra essas 3 doenças e também protegerem o bebê indiretamente.

Ela é indicada para gestantes?

Sim, altamente indicada à gestante porque, ao tomá-la, ela passa proteção (anticorpos) ao bebê via placenta. A mulher deve tomar a vacina a partir da 20ª semana de gestação.

A ação desses anticorpos após o nascimento não é duradoura, mas ajudará a proteger o bebê nos seus primeiros meses de vida. Elas podem se vacinar nas redes pública ou privada, mas os pais e demais parentes só encontrarão a vacina nas redes privadas.

Essa estratégia é importante porque a coqueluche é a quinta causa de morte no mundo em crianças menores de cinco anos.

Entre os principais transmissores da Bordetella pertussis, bactéria que causa a doença, estão: a mãe (32%), os irmãos (20%), o pai (15%) e os avós (8%).

Portanto, a vacinação dos adultos que cuidam do bebê é de grande importância para prevenir a transmissão da coqueluche para o mesmo, que só estará totalmente protegido quando completar as três doses da vacina entre o sexto e o sétimo mês de vida.

Contra quais doenças a dTp protege?

Coqueluche, Difteria e Tétano.

Conclusão

Fica aqui o nosso alerta! Se você é mãe e/ou pai, não se intimide de impor a vacina àqueles que estarão em contato frequente com o seu bebê.

Quem ama cuida e essas pessoas certamente querem o melhor para esse serzinho que está vindo ao mundo!

A Beep facilita essa demonstração de cuidado e amor com o serviço de vacinação domiciliar de domingo a domingo! Que tal unir a família em casa para um dia de vacinação? Vira um nobre motivo para um delicioso encontro.


Vacinas indicadas:

Vacina Tríplice Bacteriana (dTpa) | Protege contra Difteria, Tétano e Coqueluche.

Vacina Tríplice Bacteriana + Poliomielite (dTpa-VIP) | Protege contra Difteria, Tétano, Coqueluche e Poliomielite.

Fontes | SBIM