Oswaldo Cruz e o Dia Nacional da Saúde

Hoje é comemorado o Dia Nacional da Saúde. Oswaldo Cruz – pioneiro no estudo de moléstias tropicais no Brasil – nasceu em 5 de agosto de 1872, portanto, a data foi escolhida em sua homenagem. Vamos conhecer um pouco mais sobre esse ilustre brasileiro, sua trajetória e seu legado? Então te convidamos para uma leitura. 

Oswaldo Cruz e o combate à febre amarela

Sanitarista, bacteriologista e epidemiologista, foi responsável por erradicar a febre amarela no país. Enquanto todos acreditavam que a doença era transmitida pelo contato com as roupas, suor, sangue e secreções de doentes, ele lançava a sua teoria: o transmissor da febre amarela era um mosquito. 

Como foi o combate 

Suspendeu as desinfecções, método tradicional no combate à moléstia, e implantou medidas sanitárias com brigadas que percorreram casas, jardins, quintais e ruas para eliminar focos de insetos. Eram cerca de 80 homens lacrando caixas d’água e conferindo se havia alguém doente em cada casa, sendo assim, um verdadeiro movimento de guerrilha.

Oswaldo Cruz e a Revolta da Vacina 

Ele não parou por aí: seu desejo de eliminar o foco dos mosquitos foi muito além e tornou-se decreto de vacinação obrigatória por parte do Governo Federal. Muitos cariocas consideraram uma invasão de suas propriedades, visto que muitos foram vacinados contra suas vontades. Contudo, aconteceu a conhecida Revolta da Vacina.

Oswaldo da Vacina e a Revolta da vacina

Reconhecimento internacional 

As ações de Oswaldo Cruz atravessaram fronteiras. Em 1907, o cientista foi reconhecido ao anunciar a erradicação da febre amarela. Ganhou medalha de ouro no 14° Congresso Internacional de Higiene e Demografia de Berlim.

Sua vida e obra estão materializadas em inúmeros títulos, todos relacionados ao pioneirismo com o qual lidou com a medicina experimental e infecções no Brasil. Além, é claro, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)

Sua história começou em 25 de maio de 1900, com a criação do Instituto Soroterápico Federal, na Fazenda de Manguinhos, Zona Norte do Rio de Janeiro. A história da saúde pública do país se confunde com a intensa trajetória da instituição, que foi inaugurada originalmente para fabricar soros e vacinas contra a peste bubônica. 

Conduzido pelo jovem bacteriologista Oswaldo Cruz, o instituto foi responsável pela reforma sanitária que erradicou a epidemia de peste bubônica e a febre amarela da cidade. O feito ultrapassou os limites do Rio de Janeiro, realizando expedições científicas que desbravaram todo o país. Sendo assim, Oswaldo Cruz foi do Rio para o Brasil e do Brasil para o mundo. 

O instituto e sua trajetória foram fundamentais para a criação do Departamento Nacional de Saúde Pública, em 1920.

Oswaldo Cruz e Fiocruz

Fiocruz e a Covid-19

Graças à Fiocruz, o Brasil está na corrida da produção de uma vacina contra a Covid-19. No dia 31 de julho, a fundação e a AstraZeneca assinaram um documento que dará base para o acordo entre os laboratórios sobre a transferência de tecnologia e produção de 100 milhões de doses da vacina, caso sua eficácia e segurança sejam comprovadas. E, assim, mais uma vez a fundação mostra a sua enorme importância para a saúde pública do país. 

Fiocruz e a corrida pela vacina Covid-19

Com a palavra, Nísia Trindade, presidente da Fiocruz

“Nos seus 120 anos de história, a Fiocruz sempre respondeu às grandes questões do SUS e às emergências sanitárias. Frente à pandemia da Covid-19, chegarmos a esse momento para celebrar o acordo com a farmacêutica AstraZeneca e realizar a encomenda tecnológica e a incorporação da tecnologia em Bio-Manguinhos é um passo fundamental para salvar vidas e garantir a autonomia e a soberania do nosso país na questão da vacina”, ressalta Nísia Trindade, presidente da Fiocruz. Quer ler mais detalhes sobre esse assunto? Clique aqui!

Conclusão

O momento pelo qual estamos passando destaca a importância da saúde pública para nós, brasileiros. Sendo assim, conhecermos a história daquele que teve papel fundamental no desenvolvimento disso é muito esclarecedor em vários aspectos: cultural, político, econômico e social. Difundir sua trajetória é manter vivo o seu legado, nossa história e a importância do tema. Então, se você gostou do conteúdo, compartilhe. Se quiser se aprofundar ainda mais, clique aqui!