Pesquisa mostra queda alarmante na taxa de vacinação no Brasil, devido à pandemia

Um novo estudo publicado pelo IEPS (Instituto de Estudos para Políticas de Saúde) em maio de 2021, com base em dados do Ministério da Saúde, denuncia uma preocupante redução na cobertura vacinal de nove vacinas em municípios brasileiros: BCG, poliomielite, meningocócica C, hepatite A, hepatite B, pentavalente, TV (D1), rotavírus e pneumocócica. Todas protegem contra doenças graves, que já tiveram surtos no país e foram erradicadas.

Dados alarmantes

A taxa de vacinação na população brasileira já vinha em queda nos últimos anos, mas a pesquisa mostrou que, em 2020, nem metade dos municípios no Brasil atingiram a meta definida pelo Programa Nacional de Imunizações. Lembrando, sempre, que 95% da população precisa ser vacinada para haver imunidade coletiva contra vírus e bactérias.
Fonte: Panorama IEPS – Cobertura Vacinal do Brasil 2020

A maior redução foi na aplicação da vacina contra Hepatite B em crianças com menos de 30 dias. Também chama a atenção a queda de vacinação contra tuberculose (BCG) e sarampo, caxumba e rubéola (tríplice viral). Em 2018 o Brasil já viveu um ressurgimento de sarampo, repetindo o ocorrido no ano passado, quando a doença atingiu 21 estados no país. 
Autora da análise e pesquisadora do IEPS, a economista Letícia Nunes aponta o risco de novos surtos de doenças para as quais já existe prevenção e controle, além de alertar sobre os perigos de contaminação quando as atividades presenciais voltarem ao normal. Segundo Letícia, possivelmente a queda da cobertura vacinal está associada ao distanciamento social e ao medo em procurar os postos de saúde em meio à pandemia do Coronavírus.
Outra pesquisa, do Ibope Inteligência, feita em julho de 2020, indicou que 33% dos entrevistados atrasaram a vacinação dos filhos devido à pandemia ou não sabem como está a situação de vacinação. De fato, a maioria das pessoas acabou deixando de lado os cuidados com a saúde, por conta da luta contra a Covid-19. Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, o infectologista e vice-presidente da SBIm, Renato Kfouri, alerta para o fato de que a vacinação para adultos também é um desafio no país.

Não deixe de vacinar

Queremos lembrar que, em meio aos desafios da mobilidade e presença em espaços físicos devido à Covid-19, o uso de serviços domiciliares se tornou uma ótima opção – segura e confortável. Aqui na Beep, oferecemos a maioria das vacinas citadas no texto, entre outras. Faça a sua parte e vacine-se! #FazumBeep! 🙂
Fontes: IEPS (Instituto de Estudos para Políticas de Saúde)
SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria)
Folha de S. Paulo