Amamentação: esclareça dúvidas mais frequentes

Mães e futuras mães, vamos falar sobre amamentação? Também chamado de aleitamento materno, sabemos como esse tema gera dúvidas e muita apreensão, principalmente às mães de primeira viagem. 

Conversamos com a Dra. Paula Lustosa, Pediatra e Especialista em Amamentação, que participou de uma Live muito bacana no nosso perfil. Achamos muito esclarecedora sua forma de explicar o assunto. Resolvemos, então, convidá-la novamente, mas agora para uma matéria aqui no nosso Blog. Assim, você tem um material bacana para consultar sempre que tiver necessidade. 

Dra. Paula pauta sobre amamentação

A amamentação é um ponto tão relevante na maternidade que existe o Agosto Dourado – mês dedicado ao tema. Neste período, são realizadas divulgação e ações para incentivar e esclarecer mães e pais sobre os benefícios tanto para mãe quanto para o bebê. Muitos deles, inclusive, têm reflexos positivos até a vida adulta, reduzindo riscos de muitas doenças.

Enfim, já falamos demais, vamos deixar as palavras para quem tem propriedade no assunto.

Qual a importância da amamentação?

A amamentação fornece todos os nutrientes que o bebê precisa até os 6 meses de vida. A criança fica protegida de infecções e desnutrição, além de ter crescimento e desenvolvimento saudáveis.

Sua função nutritiva tem um grande aliado: o aleitamento materno fortalece o vínculo mãe-bebê. Podemos destacar outros benefícios como praticidade e efeitos sobre o corpo da mulher, por exemplo. 

O leite materno é um alimento completo, ou seja, o bebê não precisa de nenhum outro até completar 6 meses de vida, nem mesmo água. A recomendação do Ministério da Saúde é: aleitamento materno exclusivo até os 6 meses, continuando até os 2 anos de vida, pelo menos – quando já houve a introdução alimentar.

Como funciona a amamentação?

A amamentação acontece através do bom funcionamento da dupla mãe-bebê, não dependendo exclusivamente da produção de leite pela mãe. Desde o nascimento da criança,  a mulher já produz o colostro, que é suficiente para alimentar o bebê até a apojadura (descida do leite), que ocorre em torno do terceiro ao quinto dia após o parto. Porém, a produção do colostro e do leite materno dependem não só de fatores hormonais maternos, fatores ambientais e psicossociais, como também da pega, sucção, e estímulo do bebê.

Qual a importância da consulta de pediatria no pré-natal?

O pré-natal é o momento ideal para iniciar o vínculo da futura mamãe com o Pediatra, profissional que vai auxiliar e orientar em todo processo de amamentação, desde a primeira hora de vida do bebê na sala de parto. É um momento em que os pais estão mais abertos para receber informações e tirar dúvidas, já que ainda não têm as preocupações e todo cansaço que chega após o nascimento do bebê. Além disso, podem ser tiradas dúvidas sobre o próprio parto e procedimentos do hospital, vacinas, testes (pezinho, orelhinha, etc), assim como conversar sobre a importância da rede de apoio.

Qual o tempo ideal da amamentação?

Não existe um tempo determinado, o mais importante é observar a eficácia da mamada, ou seja, se o bebê está mamando de forma satisfatória, independentemente de quantos minutos tem a mamada. Além disso, a quantidade de urina e revisão de peso são bons parâmetros na primeira semana de vida, para sabermos se o processo está fluindo bem.

Quantas vezes o bebê pode mamar por dia?

O ideal é o bebê mamar em livre demanda, ou seja, não existe um número determinado de mamadas ao longo do dia. A capacidade do estômago do recém-nascido é pequena, e por isso ele deve mamar muitas vezes em pequenas quantidades. É importante lembrar que geralmente não devemos deixar o bebê sem mamar por um período maior do que 3 horas, mais ou menos, pois isso pode levar a prejuízo no ganho de peso, e outras complicações como hipoglicemia ou icterícia, nesse primeiro mês de vida.

Quem amamenta pode menstruar?

Geralmente, os hormônios produzidos na amamentação inibem a ovulação e, consequentemente, a menstruação, enquanto o bebê estiver em aleitamento exclusivo. Porém, algumas mulheres podem ovular e voltar a menstruar mesmo durante esse período. Lembrando que não é garantido que a ausência de menstruação funcione como método contraceptivo. O ideal é conversar com o Obstetra para avaliar as melhores opções para cada mulher.

Como conseguir a pega correta?

O bebê tem reflexos de busca e sucção desde o nascimento. A boca do bebê deve estar aberta, com os lábios evertidos, abocanhando a área da aréola e não só o mamilo, com a língua posicionada corretamente entre o lábio inferior e a aréola, e deve promover uma vedação adequada para que a sucção seja eficaz. Apesar do reflexo, não é um processo automático e fácil. Muitas vezes precisamos corrigir a pega para que não cause dor ou fissuras na mama. Se, mesmo após avaliação e orientação, a mamada não estiver fluindo bem, pode ser necessária uma melhor avaliação da boca do bebê por profissional capacitado em amamentação, pois ele vai identificar possíveis fatores de risco que estejam prejudicando a mamada (freio lingual ou labial, por exemplo, entre outros que podem ser corrigidos).

O que é amamentação em tandem?

É quando a mãe amamenta dois (ou mais) filhos em idades diferentes. Não há recomendação para que a mulher pare de amamentar um filho por ter uma nova gestação, a não ser que a mulher apresente sinais ou sintomas de risco para parto prematuro. Após o nascimento do filho mais novo, a mulher pode manter a amamentação dos dois, desde que priorize sempre o bebê mais novo, que depende exclusivamente do leite materno até os 6 meses de vida. Se o bebê mais novo está apresentando bom crescimento e desenvolvimento, a mulher pode manter a amamentação em tandem enquanto desejar.

Amamentação: dúvidas frequentes

O que é reflexo de ejeção?

O fluxo de leite materno durante a mamada do bebê acontece por reflexos, e não de forma contínua, e isso pode ser percebido pela mãe conforme a mudança na forma e ritmo da sucção do bebê. É importante informar às mães sobre esse mecanismo, pois vai ajudá-la a identificar as mamadas eficazes e o momento de oferecer a outra mama, por exemplo, ou até observar o tempo de mamada.

Amamentação x CLT. Qual o direito de amamentação?

Toda mulher tem direito a 120 dias de licença maternidade. Algumas empresas do programa empresa cidadã fornecem mais 60 dias, chegando ao total de 6 meses de licença. Além disso, a mulher tem direito à licença amamentação, que pode incluir 2 períodos de 30 minutos por dia durante a jornada de trabalho, até o bebê completar 6 meses de vida, ou mais 15 dias corridos após o fim da licença maternidade, dependendo da empresa empregadora.

Amamentação: dúvidas frequentes

Como funciona o atestado de amamentação? A qual médico recorrer?

Qualquer médico, mas geralmente o Pediatra que acompanha o bebê pode fornecer atestado de que a mulher está amamentando e, assim, ela pode solicitar a licença amamentação junto ao RH da empresa.

Vamos nos despedindo com uma mensagem verdadeira e muito objetiva da Dra. Paula para todas as mulheres, mães ou futuras mães: “Toda mulher é capaz de amamentar o seu bebê, a principal ferramenta para isso é a informação!”. Portanto, mãe, não deixe de se informar, não deixe de fazer a consulta pré-natal com a Pediatra escolhida para acompanhar o seu bebê. Este é o primeiro passo para que a sua experiência seja maravilhosa.

Quer acompanhar os posts da Dra. Paula? Siga os perfis @paula.pediatra e @pediatriaintegrada – ela está sempre publicando ótimas informações sobre pediatria.