Caxumba: sintomas, tratamento, vacinas, prevenção

Sendo uma virose mais comum durante a infância, a caxumba é uma doença infecciosa conhecida como papeira. Seu sintoma mais característico, frequente em 65% dos casos, é o inchaço nas bochechas, pescoço e mandíbula, que ocorre devido ao aumento das glândulas salivares. Portanto, aparecendo um desses sintomas, procure um médico. 

É uma enfermidade de evolução benigna, mas alguns indivíduos podem desenvolver complicações como inflamação dos testículos e dos ovários, tendo a esterilidade como consequência, além de meningite asséptica, pancreatite, neurite e surdez.

A vacinação é a melhor forma de prevenir a doença – o vírus tem menor circulação na proporção que aumenta a cobertura vacinal, pois a vacinação em massa promove o bloqueio, protegendo uma minoria que não tenha se vacinado por questões específicas. Sendo assim, fique de olho no calendário e não deixe de se vacinar. 

Aquele resumão do que você vai ver por aqui: 

  • Como saber se estou com caxumba ou não?
  • De que maneira se faz o diagnóstico da caxumba?
  • Como é a transmissão da doença?
  • Caxumba é perigosa na gravidez?
  • Qual o tratamento da caxumba?
  • Quais vacinas previnem caxumba?
  • Grávidas podem se vacinar contra caxumba?
  • A caxumba pode descer?
  • É possível pegar caxumba mais de uma vez?
  • Algumas recomendações.
  • Receitas caseiras para o tratamento da caxumba.

Como saber se estou com caxumba ou não?

Fique atento aos sinais e sintomas, que são mais intensos nos adultos do que nas crianças.

  • Inchaço e dor na parótida e nas outras glândulas salivares infectadas (aquelas que ficam embaixo da mandíbula);
  • Dor muscular e ao engolir;
  • Febre;
  • Mal-estar;
  • Inapetência;
  • Fadiga.

Quando há complicação da doença, os sinais são diferentes e exigem assistência médica imediata: 

  • Dor e inchaço nos testículos (orquite) e na região dos ovários (ooforite);
  • Náuseas; vômitos, dor no abdome superior (pancreatite);
  • Rigidez na nuca; dor de cabeça, prostração (meningite)

De que maneira se faz o diagnóstico de caxumba?

O diagnóstico é principalmente clínico, no entanto, há exames de sangue que identificam a presença de anticorpos contra o vírus no organismo da pessoa infectada.

Como é a transmissão da doença?

A doença apresenta período de incubação de 14 a 25 dias, portanto, muitas pessoas infectadas podem transmitir a doenças sem ao menos saber que está com caxumba. A transmissão acontece após o contato direto com secreções das vias aéreas superiores (nariz e boca) da pessoa infectada, desde antes do surgimento dos sintomas até nove dias após.

Caxumba é perigosa na gravidez?

É perigosa quando a mãe adoece no início da gestação e pode induzir ao aborto espontâneo, principalmente nas 12 primeiras semanas de gestação, porém, não há comprovações de que a doença possa ocasionar malformações ou
prejudicar, de alguma forma, o bebê.

Qual o tratamento indicado?

Não há remédios específicos para tratar a doença, portanto, são recomendados analgésicos e antitérmicos, além de repouso enquanto durar a infecção.

Quais vacinas previnem? 

Existem, tanto nos postos de vacinação da rede pública quanto nas clínicas privadas de imunizações, duas vacinas combinadas que protegem contra a caxumba.

Tríplice Viral: que também protege contra sarampo e rubéola.

Tetravalente Viral: que também protege contra sarampo, rubéola e varicela (catapora).

Adultos não infectados e que não receberam a vacina na infância e adolescência, devem tomar a vacina. Portanto, não deixem de buscar a proteção! 

Grávidas podem se vacinar contra caxumba?

Não, as vacinas Tríplice e Tetravalente Viral são contraindicadas para gestantes por serem vacinas de vírus vivos atenuados (enfraquecidos), por isso é tão importante todos se vacinarem, criando o bloqueio vacinal que protegerá pessoas como as gestantes. 

A caxumba pode “descer”?

Sim, conforme já mencionamos acima, uma das complicações da caxumba é atingir órgãos inferiores como os testículos e ovários, tendo a esterilidade como consequência. Portanto, é uma doença que merece cuidado e atenção.

É possível pegar caxumba mais de uma vez?

É bastante raro, mas pode acontecer. 

Algumas recomendações  

  • É recomendado manter o doente em repouso até desaparecerem todos os sintomas;
  • Alimentos líquidos ou pastosos são as melhores opções para os enfermos, já que são mais fáceis  para engolir;
  • Os adultos que não foram vacinados e não tiveram caxumba devem ser vacinados, pois, caso contrário, eles podem ser infectados pelo vírus; 
  • Mulheres que desejam ter filhos e nunca tiveram a doença e não se vacinaram, devem buscar proteção 30 dias antes de tentar engravidar, pois a caxumba pode causar aborto espontâneo durante a gestação. 

Que bom que chegou até aqui!

Viu quantas informações importantes uma única doença pode ter? Percebeu como a prevenção é o primeiro passo de uma vida saudável para você e sua família? Lembre-se sempre de que, surgindo alguns dos sintomas citados acima, a primeira medida a tomar é entrar em contato com o seu médico ou ir ao posto de saúde mais próximo.

Ah, e lembre-se de que você pode contar com a Beep!

________________________________________

Fontes:

SBIm
Drauzio Varella