Dia Mundial do Diabetes – o que você precisa saber!

No dia 14 de novembro é celebrado o Dia Mundial do Diabetes, que tem como objetivo colocar este importante tema em voga, já que, hoje, no Brasil, há mais de 13 milhões de pessoas vivendo com a doença, o que representa 6,9% da população. Em alguns casos, o diagnóstico demora, sendo assim, favorecendo o aparecimento de complicações. O Novembro Azul também se refere a esta doença.

O que é Diabetes? 

Mas o que é exatamente o Diabetes? É uma doença crônica na qual o corpo não produz insulina ou não consegue empregar adequadamente a insulina que produz. A insulina é um hormônio que controla a quantidade de glicose no sangue. O corpo precisa dele para utilizar a glicose, que obtemos por meio de alimentos, como fonte de energia.

Quando a pessoa tem a doença, no entanto, o organismo não fabrica insulina e não consegue utilizar a glicose adequadamente. O nível de glicose no sangue fica alto – a famosa hiperglicemia. Se esse quadro permanecer por longos períodos, poderá haver danos em órgãos, vasos sanguíneos e nervos.

A Dra. Cristiana Meirelles fala, neste vídeo, com a propriedade de médica e também como paciente! Assista e, contudo, fique mais informado sobre esta doença crônica, silenciosa e perigosa.

Além do vídeo, preparamos um Mitos e Verdades esclarecendo as principais dúvidas, incluindo o tipo Gestacional, que também ganha destaque nessa data. 

Esse tipo de diabetes afeta entre 2 e 4% de todas as gestantes e implica risco aumentado do desenvolvimento posterior de diabetes para a mãe e o bebê.

Não trata-se de uma doença tão séria.

MITO. Se você controlar o diabetes adequadamente, você pode prevenir ou adiar as complicações. Mas, de acordo com uma pesquisa realizadas nos Estados Unidos, as condições associadas ao diabetes causam mais mortes do que o câncer de mama e a Aids, juntas. Duas em cada três pessoas com diabetes morrem em função de problemas cardiovasculares ou derrame, portanto, trata-se sim de uma doença séria.

Se você está acima do peso ou obeso, um dia vai desenvolver o Tipo 2 da doença?

MITO. Estar acima do peso é, sim, um fator de risco para o Tipo 2, mas há outros, como a história familiar e a idade. Mas atenção: muitas pessoas magras ou com peso normal têm diabetes e muitas pessoas com sobrepeso nunca desenvolvem a doença.

É muito fácil saber se você tem diabetes? Os sinais são claros?

MITO. O diabetes não tem sintomas claros. As complicações também não são iguais para todas as pessoas. É importante realizar exames de rotina, saber quais são os fatores de risco e buscar o diagnóstico.

Comer muito açúcar causa a doença?

MITO. A resposta não é tão simples. Diabete Tipo 1 é causada por fatores genéticos e outras causas ainda desconhecidas. Diabetes Tipo 2 é causada por fatores genéticos e estilo de vida.
Estar acima do peso contribui para o risco de desenvolvimento do Tipo 2, e uma dieta hipercalórica, não importando a fonte das calorias, favorece o ganho dos ‘quilos a mais’. Algumas pesquisas mostraram que o consumo de bebidas açucaradas, como sucos industrializados e refrigerantes, pode ter vínculo com o desenvolvimento de Diabetes Tipo 2.

Pessoas com a doença devem comer alimentos especiais para diabéticos?

MITO. Uma refeição saudável significa, geralmente, a mesma coisa para uma pessoa com diabetes e uma pessoa sem diabetes. Recomenda-se que alimentação deve ter pouca gordura, principalmente saturada e trans; moderada em sal e açúcar, privilegiando cereais integrais, vegetais e frutas.

Pessoas com a doença não podem comer doces ou chocolate?

MITO. Doces e chocolates podem ser consumidos por pessoas com diabetes, Se estiverem dentro de um planejamento alimentar combinado com exercícios físicos. Há algum tempo, eles deixaram de ser proibidos. Doces e chocolates devem ser consumidos em pequenas porções.

Os sintomas da diabetes gestacional nem sempre são identificáveis.

VERDADE. Assim como para os outros tipos do diabetes, os sintomas podem ser facilmente ignorados. Por isso é tão importante ter um acompanhamento pré-natal com seu médico obstetra. As consultas periódicas vão examinar, não só seu nível de glicose, como qualquer outra complicação que possa existir nesse momento.

A mulher que teve diabetes gestacional não vai poder amamentar?

MITO. O aleitamento materno pode reduzir o risco de desenvolvimento de diabetes após o parto, porque a própria produção de leite pelo corpo reduz os níveis de glicose no sangue. A alimentação balanceada e a prática regular de atividades físicas também vão ajudar nessa prevenção.

Se você gostou desse conteúdo e acha que outras pessoas precisam ler, compartilhe. Se preocupar com a saúde de quem amamos é uma das melhores
formas de demonstrarmos amor!

Fontes | Sociedade Brasileira de Diabetes e Clube do Diabetes
SBDOMS