Febre alta, dor atrás dos olhos e fraqueza. Só quem já teve os sintomas da dengue conseguiu sentir na pele o quanto ela pode ser incômoda e perigosa. Como esse é um assunto que causa muita preocupação das autoridades de saúde do mundo todo, fizemos um artigo explicando o que é dengue, quais são as suas principais fases e muito mais. Confira! 

Mulher olhando para o braço que está com um mosquito Aedes Aegypti., a imagem ilustra o post o que é dengue.


O que é dengue?


A dengue é uma doença viral grave que, em alguns casos, pode levar a pessoa à morte. Causada por um vírus da família Flaviviridae, os sintomas mais característicos são: 
  • Febre acima de 38.5ºC;
  • Presença de manchas vermelhas pelo corpo; 
  • Dores pelo corpo. 

A principal forma de transmissão em humanos é por meio da picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti.
Segundo dados do Ministério da Saúde, foram registrados 479.745 casos de dengue no Brasil entre os dias 3 de janeiro e 9 de outubro de 2021.
Assista ao vídeo da Coordenadora Médica da Beep Saúde, Cristiana Meirelles, e entenda mais sobre a dengue:

Quantos tipos de vírus da dengue existem? 


Existem 4 sorotipos do vírus causador da dengue: DEN1, DEN2, DEN3 e DEN4. 

Como se contrai o vírus da dengue?


O vírus da dengue pode ser contraído quando uma pessoa é picada pelo mosquito fêmea do Aedes aegypti (principal transmissora) ou Aedes albopictus. Esses vetores precisam estar infectados com um dos quatro sorotipos da dengue para conseguir infectar um indivíduo. 
Segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), há, também, registro de transmissão via transfusão de sangue e da gestante infectada para o feto. 

A dengue é contagiosa?


Não. Pessoas com a dengue não conseguem transmitir o vírus para indivíduos saudáveis. 

Como esses mosquitos se proliferam? 


Imagem mostra o mosquito da dengue em zoom, ilustrando o post o que é dengue
Geralmente, nos primeiros dias em que o mosquito Aedes aegypti se torna adulto, ocorre o acasalamento. Logo depois, as fêmeas dessa espécie precisam se alimentar com sangue humano, pois ele é fundamental para o desenvolvimento completo dos ovos em seus ovários. 
Três dias após ingerir o sangue, a fêmea do Aedes Aegypti já está apta a pôr os ovos e procura locais com água limpa e parada para desová-los. Ela coloca-os nas paredes desses recipientes e bem próximos à superfície da água. 
Quando está em condições ideais de umidade e temperatura, o embrião do mosquito pode desenvolver-se em até 48 horas. Logo depois da eclosão do ovo (quando há o rompimento da casca), o mosquito vira adulto em até 10 dias. 
É importante informar que os ovos do Aedes Aegypti podem sobreviver durante muito tempo em condições não tão favoráveis (como em ambientes secos) até a chegada de um período quente e chuvoso, ideal para a eclosão dos ovos.

As larvas do mosquito já podem nascer com o vírus da dengue?


Caso a fêmea do mosquito esteja contaminada no momento em que ela colocar os ovos, existe uma grande chance das larvas nascerem com o vírus da dengue. 
Para a fêmea do Aedes aegypti ser infectada, precisa se alimentar com o sangue de uma pessoa com a doença. A partir daí, a fêmea do Aedes aegypti transmite o vírus para outros indivíduos. 


Existe algum período em que é mais comum ocorrer a transmissão? 


A transmissão da dengue ocorre com maior frequência durante o verão por causa dos fatores climáticos, que podem ajudar na proliferação do Aedes aegypti em locais úmidos e quentes. 

Quais são os principais sintomas? 


A pessoa infectada com o vírus da dengue pode não apresentar sintomas, ou seja, ser assintomática. Entretanto, em alguns casos, o indivíduo pode ter sinais característicos das fases: febril, crítica e grave. Entenda a diferença entre cada uma delas: 

Sintomas da dengue durante a fase febril


  • Febre alta (39 °C a 40 °C), que surge de forma súbita e dura entre 2 e 7 dias;
  • Dor atrás dos olhos, nas articulações, cabeça e no corpo;
  • Fraqueza;
  • Náusea;
  • Vômito;
  • Erupção e coceira na pele;
  • Manchas vermelhas pelo corpo.

A pessoa pode, também, perder peso e, em alguns casos, apresentar diarreia. A maioria dos indivíduos se curam espontaneamente após 10 dias. 

Sintomas da dengue durante a fase crítica


Quando não há a cura da doença de forma espontânea na fase febril, a dengue pode evoluir para a fase crítica, assim que a febre começa a ceder, entre o 3º e o 7º dia do começo da doença. Podem surgir alguns sinais de complicações, como: 
  • Dor intensa e contínua no abdômen;
  • Vômito de forma persistente;
  • Sangramento na gengiva e nariz;
  • Sonolência;
  • Irritabilidade;
  • Tontura, entre outros. 

Sintomas da dengue durante a fase grave (ou dengue grave)


O sintoma principal do estágio mais grave da doença é o choque hemorrágico, que consiste na perda de 1 litro de sangue, em média. 
Essa situação faz com que o coração não consiga fazer o bombeamento do sangue para todo o organismo. 
O resultado é o aparecimento de problemas graves em diversos órgãos que podem levar à morte, como: 
  • Encefalite: inflamação no cérebro causada por uma infecção viral ou bacteriana;
  • Síndrome de Gulliain-Barre: uma doença que faz o sistema imunológico do próprio organismo atacar parte do sistema nervoso. 

Como é a dengue hemorrágica?


Esse termo é muito conhecido e utilizado pelas pessoas para denominar a versão mais grave da doença. Entretanto, em 2014, a Organização Mundial da Saúde (OMS) mudou a classificação e agora a dengue hemorrágica se chama “dengue grave”. 

Quem pode desenvolver os sintomas graves da doença? 


Pessoas de qualquer idade podem ser infectadas com o vírus da dengue. Entretanto, alguns grupos específicos têm mais chance de desenvolver sintomas graves da doença, levando à morte. São eles:
  • Crianças;
  • Idosos com mais de 65 anos;
  • Gestantes; 
  • Pessoas com diabetes e/ou hipertensão. 

O que fazer quando surgirem os sintomas da doença? 


Quando apresentar qualquer sintoma da dengue – leve ou grave -, a orientação é procurar um atendimento médico o mais rápido possível.

Como diagnosticar a dengue? 


O médico pode solicitar alguns exames para confirmar a presença da doença, como: 
  • Exames de sangue (sorologia);
  • Biologia molecular e isolamento viral;
  • Teste rápido (utilizado para a triagem).

Aqui na Beep, você encontra os exames de sorologia para a detecção da dengue. E o melhor é que você pode fazer tudo no conforto de casa, de domingo a domingo, sem pagar taxa domiciliar e sem enfrentar filas. Em até 3 minutos, você consegue agendar seu atendimento no nosso aplicativo! 

Quais são os riscos para a mulher grávida que contrai o vírus da dengue? 


Grávidas infectadas pelo vírus da dengue podem correr alguns riscos, como: aborto ou parto prematuro. Além disso, elas têm mais chances de apresentar os sintomas graves da doença, podendo levar à morte. 

Essa doença tem cura?


Geralmente, as pessoas que contraem a dengue se curam de forma espontânea, em até 10 dias. 

Como funciona o tratamento? 


Ainda não existe um tratamento específico contra a dengue. O que a pessoa infectada pode fazer é repousar e beber muito líquido, principalmente, água. Médicos podem prescrever soro na veia, o que ajuda na hidratação. Outra recomendação muito importante é não tomar nenhum remédio por conta própria

Como prevenir a dengue? 


A principal forma de prevenção é combater a reprodução do mosquito Aedes aegypti. A recomendação é eliminar a água de qualquer recipiente que possa se tornar criadouro do mosquito, como: tampinhas, pneus, vasos de plantas, entre outros. 
Usar mosquiteiros, inseticidas, repelentes e roupas que cubram boa parte da pele pode ajudar a evitar a picada do mosquito. 
Outra forma de se prevenir contra a doença é tomar a vacina contra a dengue, disponível somente na rede privada de saúde. 

O médico responde:


Quem é infectado com a doença pode pegá-la de novo?


Ao se contrair dengue uma vez, a pessoa fica imune permanentemente para aquele sorotipo do vírus, mas não para os outros. Sendo assim, uma mesma pessoa é capaz de contrair a doença até quatro vezes. 
A segunda infecção por qualquer sorotipo da dengue é, na maioria das vezes, mais grave do que a primeira. Acredita-se, de acordo com a teoria de Halstead, que a resposta imunológica na segunda infecção é mais exacerbada, o que resulta em uma forma mais grave da doença.