Síndrome de Down e o Coronavírus. Leia aqui!

Hoje, dia 21 de março, é celebrado o Dia Internacional da Síndrome de Down. A Dra. Cristiana Meirelles, Pediatra,  Infectologista Pediátrica e Especialista em Síndrome de Down – além de Coordenadora Médica da Beep Saúde – passou algumas dicas e informações importantes voltadas para proteger este público, infelizmente mais vulnerável neste cenário de pandemia da Covid-19. Um resumão do que você vai encontrar por aqui:
  • Por que essa infecção assusta tanto?
  • Crianças com Síndrome de Down são mais suscetíveis aos quadros mais graves da Covid-19?  
  • Existe tratamento?
  • O que fazer para proteger quem tem Síndrome de Down?
  • Quando devemos procurar a emergência? 
  • Existe alguma vitamina ou complexo contra o Coronavírus?

Por que essa infecção assusta tanto?

Ela assusta toda a população, mas principalmente quem tem familiares com Síndrome de Down, porque uma das maiores causas de morte nas crianças com SD é a pneumonia. Na Covid-19, os quadros mais graves evoluem, justamente, com a pneumonia. 

Crianças com SD são mais suscetíveis aos quadros mais graves da Covid-19?

Sim, por alguns motivos. Um deles é o sistema imunológico. As pessoas com SD têm uma deficiência imunológica, ou seja, suas defesas são mais baixas. Outra questão é a braquicefalia. O formato da cabeça menor, assim com o estreitamento de nasofaringe e redução na cavidade oral, o palato ogival (céu da boca) mais profundo que atrapalha o fluxo de ar, hipertrofia de tonsilas palatinas (amígdalas) e adenóide também atrapalham esse fluxo. Muitas crianças com SD são obesas e a obesidade também é um fator que dificulta a respiração. A cardiopatia congênita, que se apresenta na metade das pessoas com SD, também é um fator de vulnerabilidade. Assim como a hipotonia muscular, que inclusive se apresenta também no diafragma, músculo embaixo do pulmão, a musculatura intercostal que expande o tórax para respirar também é hipotônica.  Por todas essas razões, as pessoas com Síndrome de Down estão mais sujeitas a evoluir com pneumonia quando houver uma infecção respiratória. Não só com o Coronavírus, mas como qualquer outro vírus como a Influenza, por exemplo. 

Existe tratamento? 

Por se tratar de um novo vírus, que ainda está sob estudos, não conhecemos ainda um tratamento para esta infecção, e é por isso que ela assusta. Ainda não há uma medicação específica, muito menos uma vacina capaz de prevenir, portanto, é muito importante façamos a nossa parte seguindo as orientações de higiene e isolamento social. 

O que fazer para proteger quem tem Síndrome de Down?

Seguir à risca todas as medidas de prevenção geral recomendadas pelo Ministério da Saúde. Ou seja, a constante lavagem das mãos com água e sabão, o uso do álcool em gel quando estiver na rua e não houver oportunidade de lavar as mãos, evitar o compartilhamento de objetos (cada um em casa ter o seu talher, prato, copo), assim como a toalha de banho. E, o mais importante de tudo nesse momento: evitar aglomeração! Sair de casa só quando não houver outra forma e, ao voltar, tomar todas as medidas de higienização necessárias.  É importante ressaltar que pessoas que apresentem sintomas de gripe devem ficar afastadas, principalmente, daqueles que têm Síndrome de Down. 

Quando devemos procurar a emergência? 

Quem é familiar de pessoas com Síndrome de Down deve ficar muito atento aos mínimos sinais de sintomas de gravidade. Se a criança está com coriza, tosse e febre baixa, mas bem disposta, comendo e brincando, não há motivo para pânico. Porém, converse com o pediatra e trate em casa sob suas orientações, inclusive em relação às medicações indicadas (principalmente os analgésicos e antitérmicos). Havendo dificuldade respiratória, sinais de esforço respiratório, é preciso buscar uma avaliação médica. A prostração e perda de apetite também são sinais de que a criança precisa de uma avaliação médica urgente., portanto, nesses casos, busque sim uma emergência.

Existe alguma vitamina ou complexo contra o Coronavírus?

Não. Não existe nenhuma vitamina ou complexo capaz de aumentar a imunidade especificamente contra o Coronavírus. O indicado é ter uma boa alimentação, boa hidratação e não deixar de tomar as medicações de uso contínuo. Essas dicas servem para todos.  Vai ficar tudo bem! Agora é a hora de nos unirmos, seguirmos as orientações do Ministério da Saúde e do Governo e protegermos as pessoas mais vulneráveis dos quadros mais graves da Covid-19. Mantenha-se bem informado, mantenha a calma e faça a sua parte! Acompanhe o Instagram da Dra. Cristiana Meirelles, que está orientando os seus seguidores com informações diárias sobre a Covid-19.