Causando diarreia e vômito com frequência ao longo do dia, o rotavírus é um dos vírus que provoca a gastroenterite aguda. Ele atinge, principalmente, os menores de 5 anos e pode gerar um quadro desconfortável, com evolução para desidratação e outras complicações. Em 2008, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estimou cerca de 450 mil mortes nesta faixa etária, sendo, por isso, recomendada a adoção de vacinas contra o rotavírus pelos programas nacionais de imunização. Neste artigo, você entenderá tudo sobre a vacina rotavírus: qual doença ela previne, quando tomar, quantas doses são recomendadas, quais são as reações e mais. Confira!
ilustração de uma seringa de vacina rotavírus

O que é o rotavírus?


O rotavírus é um vírus RNA da família Reoviridae, um dos principais causadores da gastroenterite —  uma inflamação que acomete o intestino e o estômago — gerando um quadro de diarreia e vômito, em diferentes intensidades.
A transmissão do rotavírus pode ser fecal-oral, ou seja, o vírus é eliminado nas fezes do paciente e é transmitido através do contato pelas mãos ou pela ingestão de água e alimentos contaminados. Alguns dos principais sinais e sintomas, além da diarreia e vômito, são febre alta e desidratação.
A Beep Saúde preparou um conteúdo completo com todas as informações sobre a vacina rotavírus que você precisa saber.

Recomendações da vacina


Para que serve a vacina?


A vacina rotavírus protege contra infecções gastrointestinais causadas pelo rotavírus, uma das principais causas de diarreia grave entre as crianças menores de 5 anos. Sua aplicação é feita por via oral.

Quem deve tomar a vacina rotavírus?


As Sociedades Brasileiras de Pediatria (SBP) e de Imunizações (SBIm) indicam essa vacina para crianças de 6 semanas a 7 meses e 29 dias.

Quantas doses da vacina são recomendadas?


Aqui na Beep, a vacina disponível é a rotavírus pentavalente (VR5), composta por 5 tipos de rotavírus. Deve ser administrada em três doses, com intervalo mínimo de 4 semanas entre elas, sendo o esquema padrão: aos 2, 4 e 6 meses. Já na rede pública, a vacina disponível é a rotavírus monovalente (VRH1), composta por 1 tipo de rotavírus e deve ser administrada em duas doses: aos 2 e 4 meses.
A primeira deve ser administrada até os 3 meses e 15 dias. A idade máxima para última dose será aos 7 meses e 29 dias.

Quais são as diferenças entre as vacinas rotavírus do SUS e da rede privada?


Na rede pública de saúde, a vacina rotavírus protege contra um sorotipo do rotavírus, sendo administrada em apenas duas doses. Enquanto na rede privada, ela protege contra 5 sorotipos diferentes e são aplicadas três doses.

Clique aqui para obter mais informações e agendar a vacina


Quais são as reações adversas da vacina rotavírus?


As possíveis reações adversas da vacina rotavírus podem variar entre muito comuns, comuns e raras. Veja no quadro abaixo:
 Reações muito comuns
  • Febre;
  • Vômito;
  • Diarreia;
  • Irritabilidade.
Reações comuns 
  • Otite;
  • Faringite e outras infecções do aparelho respiratório superior.
Reações raras
  • Broncoespasmo e invaginação intestinal. De acordo com estudos científicos, a quantidade de casos de invaginação pós-vacinação é muito próxima da quantidade esperada em crianças não vacinadas, o que demonstra que o risco oferecido pela vacina é muito pequeno. Além disso, a ocorrência é muito menor que o risco de hospitalização ou óbito decorrente de gastroenterite causada pelo rotavírus.

Quais são as contraindicações da vacina?


A vacina rotavírus é contraindicada para:
  1. Bebês fora da faixa etária indicada;
  2. Pessoas com deficiência imunológica por doença ou uso de medicamentos que ocasionam imunodepressão;
  3. Pessoas com histórico de alergia grave, como: urticária disseminada, dificuldade para respirar e choque anafilático provocada por algum componente da vacina ou por aplicação da dose anterior;
  4. Pessoas com doença no aparelho gastrointestinal ou histórico prévio de invaginação intestinal, de acordo com a avaliação médica. 

Onde pode ser encontrada?


A vacina rotavírus pentavalente pode ser encontrada na rede privada de saúde. Aqui na Beep, você pode receber a vacinação no conforto da sua casa, de domingo a domingo e sem pagar taxa domiciliar. Baixe o nosso app e agende uma visita.

Acompanhamento médico


Agora que você já sabe como funciona a vacina rotavírus, lembre-se que é muito importante o acompanhamento com um médico de confiança para verificar o melhor tratamento, caso haja a suspeita da doença ou maiores complicações.

Médico responde


Quais cuidados devem ser tomados antes e depois da vacina?


A vacina rotavírus é bastante segura!
  1. Em bebês com doença febril aguda, apresentando febre moderada a alta ou diarreia intensa, deve ser adiada a vacinação, até que ocorra a melhora dessas manifestações. Nos casos leves, com febre baixa, resfriado ou diarreia branda, não é contraindicada a realização da vacina;
  2. Se o bebê regurgitar após tomar a vacina, não é necessário dar outra dose;
  3. Não é recomendado cuidados especiais com as fraldas após a vacinação, além da habitual higienização adequada das mãos;
  4. Bebês de mães portadoras do vírus HIV podem ser vacinados se não tiverem sinais de deficiência imunológica;
  5. Não há problema em vacinar bebês que convivem com pessoas com deficiência imunológica;
  6. Na presença de reações adversas persistentes, com duração maior de 24 a 72 horas (dependendo do sinal ou sintoma), ou reações graves, deve ser feita avaliação médica e exclusão de outras causas.

Importante:


Você pode tirar suas dúvidas e fazer o agendamento dos seus exames laboratoriais e vacinas diretamente no aplicativo da Beep Saúde. É só clicar aqui para baixar!
Ah, aproveite para seguir a gente nas redes sociais: Twitter, Instagram e Facebook. Também temos vagas para entrar na #OndaVerde em nosso LinkedIn. Vai lá! 🙂
Compartilhe com a gente sua experiência com a vacina rotavírus! Assim, você vai contribuir para ajudar outras pessoas que procuram por mais informações.