A varicela, popularmente conhecida como catapora, é uma doença infecciosa e contagiosa que acomete com maior frequência as crianças. Sua principal característica são lesões na pele, as famosas “bolinhas de água”, que causam bastante coceira. Neste artigo, você entenderá tudo sobre a vacina varicela. Qual doença ela previne, quando tomar, quantas doses são recomendadas, quais as reações e mais. Confira!
ilustração de uma seringa de vacina varicela

O que é a doença varicela?


Mais comumente conhecida por catapora, a varicela é uma doença infecciosa e muito contagiosa. Crianças são geralmente mais atingidas, principalmente, entre o fim do inverno e começo da primavera.
Ela é causada pelo vírus Varicela-zoster e seus principais sinais e sintomas são as manchas vermelhas, que progridem para pequenas bolhas até virarem crostas e algumas podem deixar cicatrizes na pele. Acompanha bastante coceira pelo corpo.
A transmissão acontece por meio do contato com objetos contaminados pelo vírus, pelo contato direto com as bolhas e ou secreções respiratórias expelidas pela fala, tosse ou espirro.
Preparamos um conteúdo completo com todas as informações sobre a varicela que você precisa saber.

Para que serve a vacina de varicela?


A vacina varicela protege contra a infecção causada pelo vírus Varicella zoster, causador da varicela (catapora),  e previne complicações mais graves, como: infecções bacterianas de pele, otite, pneumonia, meningite e encefalite (infecção aguda no sistema nervoso). 

Qual é a idade para tomar a vacina varicela?


As Sociedades Brasileiras de Pediatria (SBP) e de Imunizações (SBIm) indicam essa vacina como rotina para bebês com idade a partir dos 12 meses, seguindo o calendário de vacinação. Em casos de surto da doença, é recomendado para crianças a partir dos 9 meses.

Quantas doses devem ser administradas?


Devem ser administradas duas doses da vacina, sendo a primeira aos 12 meses e a segunda entre 15 e 24 meses, conforme o calendário da SBP e SBIm. Crianças maiores de 2 anos, adolescentes e adultos que não receberam as doses antes de 2 anos, devem tomar duas doses com intervalo de 2 meses.

Clique aqui para obter mais informações e agendar a vacina


Quais são as reações da vacina?


As possíveis reações da vacina varicela podem variar entre muito comuns e raras.  Veja no quadro abaixo:
 Reações muito comuns
  • Dor e vermelhidão no local da injeção;
  • Erupções na pele semelhantes às da varicela que geralmente aparecem de forma tardia (7 a 10 dias após a vacinação) e somem poucos dias depois, sem deixar sequelas. Podem ou não ser seguidas de febre, por vezes, acima de 39°C por 1-2 dias.
Reações comuns
  • Rash cutâneo (erupção na pele);
  • Inchaço no local da injeção;
  • A presença de febre foi relatada com frequência em estudos conduzidos em adolescentes e adultos.
Reações incomuns
  • Infecção do trato respiratório superior;
  • Sintomas semelhantes à rinite e faringite;
  • Aumento ou surgimento de gânglios próximos à região do local da vacinação (linfadenopatia);
  • Irritabilidade;
  • Cefaleia;
  • Sonolência;
  • Náusea;
  • Vômito;
  • Coceira;
  • Dores musculares e nas articulações;
  • Cansaço;
  • Mal-estar;
  • Febre alta.
Reações raras
  • Conjuntivite;
  • Dor abdominal;
  • Diarreia;
  • Urticária;
  • Reações alérgicas (incluindo anafilaxia);
  • Convulsões;
  • Vasculite.;
  • Erupções mais severas na pele e Herpes Zoster;
  • Uma tendência de maior incidência de dor;
  • Vermelhidão e inchaço após a segunda dose da vacina foi observada quando comparada à primeira dose;
  • Não se observou diferença de perfil de reatogenicidade (reação adversa) entre os indivíduos inicialmente soropositivos para varicela e os inicialmente soronegativos.

Quais são as contraindicações da vacina?


A vacina varicela é contraindicada para:
  • Pessoas que apresentaram anafilaxia (reação grave) devido a algum componente da vacina ou após a dose anterior;
  • Gestantes;
  • Pessoas que apresentam sistema imunológico enfraquecido, seja por doença ou tratamento imunossupressor, precisam consultar um médico para verificar se devem ou não tomar a vacina;
  • Pessoas em tratamento com corticoide em doses imunossupressoras também precisam se consultar com um médico para verificar se podem ou não receber a dose dessa vacina.

Onde ela pode ser encontrada?


A vacina varicela pode ser encontrada na rede privada de saúde. Aqui na Beep, você pode receber a vacinação no conforto da sua casa, de domingo a domingo e sem pagar taxa domiciliar. Baixe o nosso app e agende uma visita.

Acompanhamento médico


Agora que você já sabe como funciona a vacina varicela, lembre-se que é muito importante o acompanhamento com um médico de confiança para verificar o melhor tratamento, caso haja a suspeita da doença ou maiores complicações.

Médico responde


Quais cuidados devem ser tomados antes e depois da vacina?


Particularidades da vacina contra varicela:
  1. A vacina contra varicela é composta pelo próprio vírus de forma atenuada, de uma maneira que ele não cause a doença, mas que permita que a pessoa vacinada produza anticorpos (defesa) contra a varicela;
  2. Pessoas que já tiveram varicela, não precisariam receber a vacina já que a doença faz imunidade permanente. Contudo, se houve dúvida no diagnóstico passado, a vacina deve ser realizada;
  3. Se alguém não vacinado teve contato com uma pessoa com varicela, pode receber a vacina até 5 dias após esse contato, pois ela tende a proteger a pessoa a não desenvolver a doença;
  4. O Ministério da Saúde, no calendário básico do Programa Nacional de Imunizações, fornece a vacina com 15 meses (dentro da Tetraviral) e com 4 anos. Já no calendário das Sociedades Científicas de Pediatria e Imunizações, o recomendado é realizar a proteção básica antes – com 12 meses e segunda dose com 15 meses;
  5. Pessoas com imunodeficiência devem ser avaliadas pelo seu médico quanto a receber a vacina já que é por vírus atenuado, pois podem acabar desenvolvendo a doença vacinal;
  6. Os efeitos colaterais pós-vacina são de baixa frequência. Os principais são: febre e dor local como as outras vacinas. Pode ser dado antitérmicos comuns com a orientação do pediatra. Especificamente com a vacina contra a varicela, deve-se evitar usar ibuprofeno e aspirina;
  7. A vacinação em massa da varicela ajudou a reduzir muito a propagação desta doença que, no futuro, pode ser erradicada pela vacinação.

Importante:


Você pode tirar suas dúvidas e fazer o agendamento dos seus exames laboratoriais e vacinas diretamente no aplicativo da Beep Saúde. É só clicar aqui para baixar!
Ah, aproveite para seguir a gente nas redes sociais: Twitter, Instagram e Facebook. Também temos vagas para entrar na #OndaVerde em nosso LinkedIn. Vai lá! 🙂
Compartilhe com a gente sua experiência com a vacina varicela! Assim, você vai contribuir para ajudar outras pessoas que procuram por mais informações.