Causada pela bactéria Bordetella Pertussis, a coqueluche é uma infecção respiratória transmissível que pode ser prevenida por meio da vacinação. No artigo abaixo, você entenderá mais sobre a vacina coqueluche, que protege contra essa doença, sua importância, quantas doses são recomendadas e quando tomar. Confira!
uma mulher profissional da saúde aplicando vacina no braço de um menino - vacina coqueluche

O que é a coqueluche?


A coqueluche é uma infecção respiratória causada pela bactéria Bordetella pertussis,  transmitida de pessoa para pessoa por meio de gotículas da saliva, da tosse e do espirro. Seus sintomas mais comuns podem ser parecidos com os da gripe, como febre baixa, coriza, espirro e tosse. A tosse, porém, tende a ser persistente, intensa e seca.
Segundo o Ministério da Saúde, existem alguns fatores de risco para a doença e quanto menor a criança, maior tende a ser sua gravidade. Bebês com idade inferior a 6 meses (que ainda não apresentam o esquema vacinal completo), têm mais chances de complicações e, se não houver um tratamento correto e ágil, a doença pode levar a óbito.

Dados da coqueluche no Brasil


Os casos de coqueluche no Brasil eram muito elevados nos anos 80, registrando um número de, aproximadamente, 40 mil casos anuais. Nos anos 90, devido à ampliação da cobertura vacinal, houve uma queda significativa, sendo que foram notificados, aproximadamente, 15 mil casos.
Em 2011, houve um novo aumento da doença, com pico em 2014, porém, de acordo com o informe epidemiológico do Ministério da Saúde, entre os anos de 2014 e 2019, foi observado uma queda de 83% nos casos de coqueluche e um dos fatores que contribuiu para isso foi a inclusão da vacina dTpa para gestantes e profissionais de saúde. Nos anos de 2018, 2019 e 2020 foram confirmados 1.165, 1.534 e 229 casos de coqueluche, respectivamente.

Qual a forma de prevenir a coqueluche?


A maneira mais eficaz de se prevenir contra a coqueluche é por meio da vacinação e, atualmente, existem algumas vacinas que contemplam a proteção contra essa doença. As principais delas são: vacina DTPa, vacina dTpa e vacina dTpa-VIP, vacina pentavalente acelular e vacina hexavalente.
  • Pentavalente Acelular (da rede privada de vacinação): previne os indivíduos contra difteria, tétano, coqueluche, haemophilus influenzae tipo b e contra a poliomielite (VIP);
  • Hexavalente: a vacina hexavalente previne os indivíduos de difteria, tétano, hepatite B, haemophilus influenzae tipo b e contra a poliomielite (VIP); 
  • DTPa e dTpa: protege os indivíduos de difteria, tétano e coqueluche; 
  • DTPaVIP: a vacina DTPa-VIP previne os indivíduos de difteria, tétano, coqueluche e contra a poliomielite (VIP). 

Veja abaixo mais informações sobre cada uma dessas vacinas!

Quem deve tomar a vacina da coqueluche?


  • A vacina DTPa é recomendada para crianças a partir dos 2 meses até os 7 anos. 
  • As vacinas pentavalente e hexavalente contêm a DTPa e incluem também outras vacinas do calendário realizadas na mesma idade, reduzindo assim, o número de aplicações. 
  • Já a dTpa é recomendada para crianças a partir dos 4 anos, adolescentes, gestantes, adultos e idosos.

Quantas doses da vacina são recomendadas?


Cada vacina tem sua recomendação de doses a serem administradas. Confira!

Vacina pentavalente


A vacina pentavalente da rede privada tem esquema diferente da pentavalente presente no SUS. Ela é recomendada em 3 doses como rotina: aos 2, 4 e 6 meses; e depois uma dose de reforço entre 12 e 18 meses.

Vacina Hexavalente


A vacina hexavalente pode seguir a mesma orientação da pentavalente realizada em 3 doses de rotina: aos 2, 4 e 6 meses; e depois uma dose de reforço entre 12 e 18 meses. Como ela contém a vacina contra Hepatite B, que não precisa ser oferecida aos 4 meses, pode substituir, nesta idade, a hexavalente pela vacina pentavalente (da rede privada), a critério do médico prescritor.

Vacina DTPa (tríplice bacteriana infantil)


É recomendada em 3 doses de rotina:  aos 2, 4 e 6 meses; e depois uma dose de reforço entre 12 e 18 meses.

Vacina dTpa (tríplice bacteriana adulto)


É recomendada como reforço para crianças a partir dos 4 anos, adolescentes, adultos e idosos.
Gestantes devem receber uma dose da vacina dTpa a partir da 20ª semana de gravidez. Caso não seja realizada durante a gestação, deve-se receber a vacina após o parto, de preferência ainda na maternidade.

Vacina dTpa-VIP


A vacina dTpa-VIP é recomendada para crianças como reforço a partir dos 4 anos. Para adultos ainda não vacinados, recomenda-se o esquema de 3 doses, sendo necessários reforços a cada 10 anos. Pode substituir qualquer dose da dTpa.
Todas essas vacinas têm sua aplicação por via intramuscular.

Quais são as contraindicações da vacina?


Principais contraindicações


  • Indivíduos com história de anafilaxia, com sintomas neurológicos causados por algum componente da vacina ou após a administração de dose anterior. 
  • Também existe contraindicação em relação à idade de uso, de acordo com o tipo de vacina que contém a DTPa. 

Qual a relação da vacina contra a coqueluche e a gravidez?


A Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia, Febrasgo, passou a recomendar que toda a gestante, em cada gestação, receba uma dose da vacina dTpa após a 20ª semana de gravidez  e até 15 dias antes do parto.
De acordo com alguns dados coletados pelo Programa Nacional de Imunizações obtidos pela Febrasgo, a meta de imunização de gestantes é de 95%, entretanto, em 2020, a cobertura vacinal ficou em apenas 45%.
“A vacina dTpa é segura e está disponível a todas as gestantes, em unidades públicas de saúde. A imunização previne complicações gestacionais evitáveis e, principalmente, que o bebê seja infectado num momento em que sua imunização primária não está completa. Nos pequenos, sobretudo, menores de seis meses, a coqueluche, por exemplo, está associada a elevado risco de morte. Entre 2012, 2014 e, mais recentemente, em 2018, observamos expressivo aumento de casos de coqueluche, no Brasil. Ao mesmo tempo, a cobertura vacinal tem se mantido baixa. Mais do que nunca, precisamos evitar que novos surtos aconteçam”, explica a ginecologista Dra. Cecilia Roteli Martins, presidente da Comissão Nacional Especializada em Vacinas da Febrasgo.

Importância da vacinação


Os dados e registros da queda de casos de coqueluche só mostram e confirmam a importância da vacinação e como ela  previne a doença e suas complicações. A vacinação contra a coqueluche é um dos principais cuidados que a mãe deve ter para cuidar do bebê, garantindo imunidade à criança.

Acompanhamento médico


A Beep segue as orientações e calendários da Sociedade Brasileira de Pediatria e da Sociedade Brasileira de Imunizações. No entanto, é essencial sempre avaliar em conjunto com o seu médico.

Onde encontrar a vacina coqueluche?


Todas as vacinas que protegem contra a coqueluche estão disponíveis aqui na Beep. E o melhor? A nossa equipe vai até você, de domingo a domingo, sem cobrar taxa domiciliar. Baixe o nosso app agora mesmo para agendar uma visita!

Importante:

Você pode tirar suas dúvidas e fazer o agendamento dos seus exames laboratoriais e vacinas diretamente no aplicativo da Beep Saúde. É só clicar aqui para baixar!
Ah, aproveite para seguir a gente nas redes sociais: Twitter, Instagram e Facebook. Também temos vagas para entrar na #OndaVerde em nosso LinkedIn. Vai lá! 🙂
Compartilhe com a gente sua experiência com a vacina contra coqueluche! Assim, você vai contribuir para ajudar outras pessoas que procuram por mais informações.