Sabe aquelas feridas causadas por objetos cortantes, como: pregos e latas, por exemplo? Se a pessoa não estiver devidamente vacinada, e o material for contaminado com a bactéria tetânica, há a possibilidade de aparecer sintomas do tétano a ponto de levar à morte. 
Imagem mostra uma pessoa colocando curativo no braço para tratar o ferimento, uma das principais formas da bactéria entrar no organismo e desencadear os sintomas do tétano
Entenda neste post os principais sintomas do tétano, os tipos mais comuns, como diagnosticar a doença, tratá-la e muito mais. 

O que é tétano? 


O Tétano é uma doença não transmissível entre pessoas, ou seja, não é contagiosa. Ela é causada pela toxina da bactéria Clostridium tetani que entra no organismo humano por meio de ferimentos ou lesões na pele. 
Considerado extremamente grave e com um alto risco de morte, um dos sintomas do tétano são as contrações involuntárias dos músculos do pescoço e tronco que levam a pessoa a ficar em uma posição arqueada. 
Essas contrações generalizadas – e outros sintomas que vamos explicar ao longo deste post – são provocadas quando a bactéria causadora da doença atinge o sistema nervoso humano. 

Como se pega tétano?


As maneiras de transmissão da doença são de forma acidental ou neonatal. Confira a diferença entre elas: 

1. Tétano acidental


O tétano acidental ocorre quando a pessoa acaba sofrendo cortes, ferimentos ou perfurações na pele gerados por objetos (latas, pregos, cacos de vidro, galhos, entre outros) contaminados pela bactéria Clostridium tetani.  

Como ocorre a contaminação desses objetos? 


Como a bactéria do tétano se encontra no intestino, principalmente, do cavalo e do homem, o bacilo tetânico pode estar presente na: 
  • Terra contaminada com fezes ou esterco de cavalo;
  • Pele;
  • Poeira; 
  • Galhos;
  • Plantas baixas;
  • Água suja, entre outras. 

Justamente pelo fato da Clostridium tetani estar presente em diferentes meios, uma das preocupações é com o período de enchentes. As cheias ajudam tanto na disseminação quanto na persistência dessa bactéria no ambiente, o que facilita a ocorrência de casos de Tétano Acidental. 

2. Tétano neonatal


O tétano neonatal pode ser transmitido para o bebê no momento do corte do cordão umbilical, caso os instrumentos utilizados não estejam esterilizados e tenham sido contaminados com a bactéria tetânica. 
Outra forma de transmissão é por meio da aplicação de substâncias infectadas durante o tratamento do coto do umbigo. 

Quais são os sintomas do tétano? 


Os sintomas do tétano são diferentes dependendo do tipo de transmissão. 

Sintomas do tétano acidental 


Pessoas de qualquer idade podem apresentar alguns dos principais sintomas de tétano acidental: 
  • Alterações neurológicas;
  • Espasmos musculares no rosto, pescoço, maxilar e abdômen;
  • Dor nas costas, braços e pernas;
  • Dificuldade para abrir a boca;
  • Insuficiência respiratória.


Sintomas do tétano neonatal


O bebê pode apresentar os seguintes sinais e sintomas de tétano neonatal
  • Choro em excesso;
  • Contração muscular que ocorre de forma espontânea ou ao manuseá-las;
  • Dificuldade para o bebê abrir a boca e mamar;
  • Irritação;
  • Febre baixa (que pode ou não ocorrer). 

Os sintomas do tétano surgem depois de quantos dias? 


Enfermeira colocando a gaze no braço do paciente para tratar a ferida, uma das formas mais comuns da bactéria entrar no organismo e desencadear os sintomas do tétano.
Os sintomas do tétano acidental podem aparecer, em média, 5 a 15 dias depois do contato do ferimento com a bactéria Clostridium tetani. Entretanto, esse período pode variar e levar de 3 a 21 dias.

Qual é a faixa etária mais comum? 


Segundo o Ministério da Saúde, o tétano acidental pode se desenvolver em pessoas de qualquer idade, sexo e região. Já o neonatal pode ocorrer nos primeiros 28 dias de vida de recém-nascidos, de ambos os sexos, localizados em qualquer lugar do mundo. 

Quem já pegou tétano fica imune? 


Quem já teve tétano não fica imune, pois a pessoa não adquire anticorpos para evitar a infecção novamente. A única forma de ficar imune é com a vacinação. 

Em quais casos essa doença pode matar? 


O tétano pode levar à morte caso haja uma infecção e a pessoa não faça o tratamento correto. Esse risco pode aumentar conforme a idade, tipo de ferida e presença de complicações renais, respiratórias e infecciosas.

Como a bactéria do tétano age no organismo?


A bactéria Clostridium tetani deixa a forma de esporos e vira uma bactéria ativa assim que ela entra na pele humana. Ela se reproduz e começa a liberar as toxinas (chamadas de neurotoxina tetanospasmina). 
Elas percorrem todo o corpo humano até chegar no Sistema Nervoso Central. Lá, ela desencadeia uma estimulação exagerada dos neurônios a ponto de provocar as famosas e persistentes contrações dos músculos. 

Por que o tétano só ocorre em feridas mais profundas? 


Na verdade, o tétano, principalmente o acidental, pode acontecer tanto em feridas superficiais quanto profundas. A diferença é que em ferimentos profundos, o pó e o tecido morto ajudam no crescimento do bacilo tetânico. 

Como saber se você pegou tétano?


Você vai saber que pegou tétano após o diagnóstico médico clínico. A utilização de exames laboratoriais, como a solicitação do Hemograma Completo (exceto quando há alguma outra infecção), ajudam somente a controlar as complicações e também a contribuir no tratamento da pessoa. 

Como tratar a doença de tétano? 


O primeiro procedimento para tratar o tétano é lavar bem a ferida com água e sabão. Caso a pessoa apareça com um dos sintomas característicos do tétano após se ferir, o indicado é ir até a unidade de saúde mais próxima e explicar como essa situação ocorreu. Os médicos vão verificar se há a necessidade de utilizar vacina ou soro. 
Se o caso de tétano acidental for grave, é indicada a terapia intensiva. Se não houver uma UTI ou unidade semi-intensiva disponível, a pessoa deve ser internada em uma unidade assistencial. 

Como prevenir o tétano? 


Existem algumas formas de evitar pegar a doença. Confira: 

Prevenção do tétano acidental: 


A recomendação do Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde é fazer a aplicação da vacina contra o tétano da seguinte forma: 
    Idade Vacinas
  2 meses 1ª dose da vacina Pentavalente ou Hexavalente
 4 meses 2ª dose da vacina Pentavalente ou Hexavalente
  6 meses 3ª dose da vacina Pentavalente ou Hexavalente
 15 meses  1º reforço com a vacina dTpw ou dTpa 
  4 anos 2º reforço com a vacina dTpw ou dTpa (ou dTpa vip)

Após os 4 anos de idade, o recomendado é a pessoa tomar uma dose de reforço da vacina dupla dT, de 10 em 10 anos.  
Além disso, utilizar equipamentos de proteção individual (EPI) como: luva, bota, capacete, – entre outros – podem ajudar a prevenir a doença. 

Prevenção do tétano neonatal: 


As gestantes devem receber a vacina dTpa a partir da 20ª semana de gravidez.  A quantidade de doses vai depender se a gestante estava com a vacinação em dia ou não antes da gravidez. 
Além disso, a realização de um parto limpo/asséptico e cuidados higiênicos com o coto umbilical ajudam a prevenir esse tipo da doença. 

Onde encontrar as vacinas? 


As vacinas Pentavalente, Hexavalente, dTpa e dTpa vip estão disponíveis aqui na Beep. Você pode aplicá-las no conforto da sua casa, de domingo a domingo e sem pagar taxa domiciliar. Baixe o app agora mesmo e agende uma visita.   

Importante:


Você pode tirar suas dúvidas e fazer o agendamento dos seus exames laboratoriais e vacinas diretamente no aplicativo da Beep Saúde. É só clicar aqui para baixar!
Ah, aproveite para seguir a gente nas redes sociais: Twitter, Instagram e Facebook. Também temos vagas para entrar na #OndaVerde em nosso LinkedIn. Vai lá! 🙂
Compartilha com a gente se você já teve sintomas do tétano! Assim, você vai ajudar outras pessoas que procuram por mais informações.

Fontes: 


Fiocruz | SBIm | Ministério da Saúde |