O exame de fezes é um dos mais comuns e mais pedidos para investigar e detectar possíveis problemas no sistema digestivo, em especial, parasitoses e identificação de outros agentes infecciosos. Neste artigo, você entenderá como fazer exame de fezes, para o que ele serve e como se preparar para realizá-lo. Confira!
Um médico segurando um frasco para amostra de exame


Para o que serve o exame de fezes?


O exame parasitológico de fezes é essencial para detectar infecções como as parasitoses (verminoses). Existem outros tipos de exame de fezes, com outras finalidades, como a identificação de gordura, sangue, bactérias, vírus que indicam a existência de outras infecções ou  disfunções intestinais.

Quando deve ser feito o exame de fezes?


A prescrição do exame deve ser feita por um médico, de acordo com os sinais e sintomas, histórico e das suspeitas do profissional. Seguindo as investigações necessárias, é possível obter um diagnóstico mais preciso e iniciar o tratamento indicado.

Como é o preparo para o exame de fezes?


O preparo pode variar dependendo de cada tipo de exame. Muitos laxantes não podem ser utilizados, portanto, só deve ser feito uso antes da coleta, se houver prescrição médica.
Geralmente a coleta de fezes não requer jejum do paciente nem restrição da alimentação. Para a realização do exame parasitológico, as amostras podem ser de consistências diversas, e isso não é impeditivo para sua realização.
Neste caso, as fezes podem ser aquosas, liquefeitas, pastosas, amolecidas, firmes, consistentes ou, ainda, petrificadas. Caso o paciente faça uso contínuo de algum medicamento, é necessário informar ao médico, pois alguns remédios podem interferir no resultado.
Se o exame for para investigar sangue oculto nas fezes, mulheres precisam esperar 3 dias após o período menstrual para realizar a coleta e evitar contaminação. Também pode ser necessária uma dieta específica, com restrição de alguns alimentos.

Veja também: Como fazer exame de sangue e quais são os tipos


Como é feito o exame de fezes?


A coleta das fezes deve ser realizada com cuidado e não deve ser feita no vaso sanitário, evitando, assim, a contaminação com a água ou urina.
O ideal é forrar uma superfície com papel ou plástico, utilizar a pazinha descartável – que vem junto ao pote esterilizado dado pelos laboratórios – e coletar um pouco das fezes. É necessário que colete apenas a parte superior do material e não pegue a parte que teve contato com a superfície.
imagem de um frasco de exame de fezes
Em alguns casos, pode ser solicitado 3 coletas diferentes em dias sequenciais. Já a quantidade, pode variar de acordo com o exame e o laboratório. Mas é importante salientar que a quantidade de fezes inserida no recipiente não deve ultrapassar a metade. 

Como armazenar o exame de fezes?


O armazenamento das fezes pode variar de acordo com cada tipo de exame e com as regras laboratoriais. Em alguns casos, é necessário levar a amostra ao laboratório em menos de uma hora, já em outras, pode ser enviada horas após a coleta, não sendo necessário guardar na geladeira.
Em regiões muito quentes, deve-se guardar na geladeira pelo tempo determinado pelo laboratório. Sempre tire suas dúvidas com o médico que solicitou os exames e com o laboratório. Dessa forma, você saberá a melhor maneira de realizar e armazenar as fezes.

Veja também: como fazer exame de urina e os principais tipos


Principais tipos de exames de fezes


Existem vários tipos de exames de fezes disponíveis, variando de acordo com cada objetivo. Os mais comuns são:
Como-fazer-exame-de-fezes-beep-saúde
  • Exame macroscópico das fezes


Exame feito para observar as fezes a olho nu, a fim de analisar características como cor, consistência e textura do material. Essa análise permite verificar a quantidade de água ingerida  e presença de alguma infecção.
Após o resultado, pode ser solicitado um exame de fezes complementar para obter um diagnóstico mais preciso.
  • Exame parasitológico das fezes


Neste exame, é possível identificar a presença de parasitas intestinais, por meio da análise de cistos ou ovos de parasitas.
  • Exame de Coprocultura


Neste caso, o exame é feito para investigar a presença de bactérias nas fezes e posteriormente avaliar a necessidade de tratamento com antibiótico ou não.
  • Exame de sangue oculto


A pesquisa de sangue oculto nas fezes, ou detecção de hemoglobina humana nas fezes, permite analisar a presença de sangue nas fezes, que não é possível observar à olho nu.
É um exame de rastreio, que representa uma alternativa não invasiva, de baixo custo, na investigação de sangramentos causados por doenças gastrointestinais, como o câncer colorretal ou de seus precursores benignos, os pólipos, em indivíduos sem quaisquer sintomas.
Tem suas indicações específicas, devendo ser solicitado por um médico especializado.
  • Exame de pesquisa do rotavírus


Esse exame permite identificar a presença do rotavírus nas fezes. Ele é um vírus responsável por um quadro de infecção  gastrointestinal, levando o paciente a apresentar sintomas como diarreia e vômito.
  • Exame de pesquisa adenovírus


Esse exame permite identificar a presença do adenovírus nas fezes. É o vírus responsável por quadros de infecção gastrointestinal.

Importante:


Você pode tirar suas dúvidas e fazer os agendamentos dos exames e vacinas desejados diretamente no aplicativo da Beep Saúde. É só clicar aqui para baixar!
Ah, aproveite para seguir a gente nas redes sociais: Twitter, Instagram e Facebook. Também temos vagas para entrar na #OndaVerde em nosso LinkedIn. Vai lá! 🙂
Se você já precisou fazer exame de fezes, compartilhe sua experiência com a gente! Assim, você vai contribuir para ajudar outras pessoas que procuram por mais informações.
Fontes:
Drauzio Varella | Unimed | Laboratório Carlos Chagas |Recomendações da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/ Medicina Laboratorial (SBPC/ML): Coleta e Preparo de Amostra Biológica – primeira edição – 2014