Para quem não sabe o que é anemia falciforme, ela é uma doença hereditária e pode se manifestar de diferentes maneiras em cada indivíduo. Dores por diversas regiões do corpo, facilidade de contrair alguma infecção, fadiga, palidez e atraso no crescimento são alguns dos sinais manifestados por essa doença. Neste artigo, você entenderá mais sobre a anemia falciforme, compreendendo o que é, quais são os sinais e sintomas, como tratar e mais. Confira!
uma folha branca escrito anemia falciforme em verde
> Leia também: o que é anemia e como ela pode ser diagnosticada

O que é a anemia falciforme?


A anemia falciforme é uma doença que passa dos pais para os filhos, ou seja, é hereditária. Segundo o Ministério da Saúde, apesar de se manifestar predominantemente em pessoas negras, ela também pode se desenvolver em pessoas brancas e pardas.
Nesse tipo de anemia, a passagem do sangue pelos vasos é prejudicada e, consequentemente, se torna incapaz de transportar oxigênio. Isso acontece devido à alteração nos glóbulos vermelhos, que perdem seu aspecto arredondado e elástico, tomando a forma de uma foice – de onde deriva o nome “falciforme”.

 

Quais são os sinais e sintomas?


Conforme dito anteriormente, a anemia falciforme pode apresentar sinais e sintomas diferentes em cada paciente. Geralmente, eles começam a se manifestar ainda no primeiro ano de vida da criança. Alguns deles são:
  • Crises de dor: esse é o sintoma mais comum e ocorre devido à obstrução de pequenos vasos sanguíneos. As dores costumam aparecer nos ossos e nas articulações, mas podem afetar qualquer parte do corpo humano. Além disso, elas estão normalmente associadas à temperatura fria, infecções, período pré-menstrual, gestação ou desidratação.
  • Síndrome mão-pé: são as dores que atingem os vasos das mãos e dos pés de crianças pequenas, resultando em inchaço, dor e vermelhidão na região.
  • Infecções: indivíduos acometidos pela anemia falciforme tendem a ter mais infecções. Por isso, a vacinação é tão recomendada nesses casos: para prevenir complicações mais graves, como meningite e pneumonia.
  • Úlceras na perna: são feridas que costumam aparecer mais próximas ao tornozelo, geralmente na adolescência. É recomendado que haja um tratamento o mais cedo possível, pois, caso a ferida não seja bem cuidada, ela pode demorar anos para cicatrizar completamente.
  • Sequestro de sangue no baço: o baço de crianças com anemia falciforme pode aumentar de tamanho rapidamente por “roubar” todo o sangue. Isso pode ocasionar, ainda, o falecimento do paciente, que ocorre pela falta do mesmo em órgãos como o coração e o cérebro.

Como é feito o diagnóstico?


O diagnóstico da anemia falciforme é obtido por meio do exame de eletroforese. Ele serve para identificar os tipos de hemoglobina presentes no sangue.
O Teste do Pezinho faz parte da triagem neonatal e é um desses exames capazes de detectar precocemente doenças genéticas, metabólicas, imunológicas e infecciosas, como a anemia falciforme.


Qual é o tratamento da anemia falciforme?


Quanto mais cedo identificar a doença, melhor será para orientar toda a família e o doente a respeito dos sinais de gravidade da doença, do tratamento das crises e da prática de medidas para a sua prevenção.
Não existe um tratamento específico para a anemia falciforme. No entanto, algumas ações podem ser recomendadas para ajudar, como o uso de medicamentos para controlar a dor. Em alguns casos, pode ser necessário transfusão sanguínea ou, até mesmo, transplante de medula óssea em quadros mais graves.

MÉDICO RESPONDE


Qual a diferença da anemia mais comum para anemia falciforme?


No caso da anemia mais comum, que é a anemia ferropriva, ocorre uma redução na disponibilidade de ferro no organismo, prejudicando o transporte de oxigênio, uma vez que o ferro está associado à hemoglobina no interior das hemácias para promover o transporte de gases pelo organismo.
Já a anemia falciforme consiste em uma disfunção na conformação da hemácia, apresentando formato de foice, perdendo a flexibilidade necessária para atravessar pequenos vasos.

Acompanhamento médico


Agora que você já sabe o que é anemia falciforme, lembre-se de que é essencial o acompanhamento com um médico de confiança. Ele vai dar início ao tratamento e verificar a evolução e melhora do quadro, caso seja confirmado o diagnóstico.

Importante:


Aqui na Beep, você pode tirar suas dúvidas e fazer o agendamento dos seus exames laboratoriais e vacinas diretamente no aplicativo da Beep Saúde. É só clicar aqui para baixar. Faça tudo no conforto da sua casa, de domingo a domingo e sem pagar taxa domiciliar.
Ah, aproveite para seguir a gente nas redes sociais: Twitter, Instagram e Facebook. Também temos vagas para entrar na #OndaVerde em nosso LinkedIn. Vai lá! 🙂
Compartilhe com a gente sua experiência com a anemia falciforme. Assim, você vai poder ajudar outras pessoas que procuram por mais informações.