Ser mãe é uma viagem sem volta. Quando o seu filho chega, automaticamente a pessoa que você era, sua vida, seus hábitos e atividades mudam para sempre. E é após a chegada do bebê, logo nos primeiros seis meses de vida das crianças, quando essas transformações são sentidas com maior intensidade.
A imagem mostra uma mãe segurando seu filho com as mãos levantando o bebê para cima. Mostrando mais sobre a chegada da bebê
Esse período costuma ser bastante desafiador, marcado por descobertas e ajustes na rotina. O recém-nascido ainda é muito indefeso e dependente dos pais – está aprendendo a sentar, engatinhar, se relacionar, se expressar e ainda se alimenta basicamente de leite materno (ou fórmula, em casos específicos).
Além de grandes expectativas, a chegada dos filhos exige muitos preparativos. Por isso, trouxemos algumas dicas e sugestões que podem facilitar a adaptação dos pais e/ou cuidadores e a acomodação do recém-nascido em seu novo lar.

A chegada do bebê


Eles são as novas estrelas da família e precisam de todos os cuidados e atenção. Por isso, o primeiro passo nessa jornada é ajustar a casa para acomodar a chegada do bebê. Não precisa ser algo trabalhoso – como fazer uma obra -, mas é importante manter os ambientes seguros, protegendo tomadas, escolhendo berços com certificado de segurança e evitando colocar berços e trocadores debaixo de janelas. Alguns itens fazem toda a diferença nesse processo.

Arrumando a casa para o novo integrante


Quantidade de fraldas para os 6 meses do bebê*


Sem dúvidas, as fraldas são intermináveis até o bebê conseguir usar o banheiro sozinho. Esta tabela ajuda a ter uma dimensão de quantas serão necessárias no primeiro semestre de vida do(s) seu(s) filho(s):
TamanhoRN RN+/PM
Recomendação diária de fraldas87 – 65
Idade da criança0 – 20 dias20 dias – 4º mês5º – 10º mês
Faixa de peso recomendadaAté 4 kg3 – 7,5 kg6 – 9,5 kg

*Valores de referência. A quantidade de fraldas pode variar, dependendo do tamanho e das necessidades do bebê ou de indicações de pediatras. Lembre-se sempre de que, no fim das contas, só a família saberá qual é o tamanho de fralda mais confortável para o bebê. Há, também, a opção de uso de fraldas ecológicas, que podem ser lavadas. | Fonte: Pampers

Atenção com a saúde


Além das compras para a chegada do bebê, adaptações de espaço e de rotina, é essencial que os cuidados com a saúde sejam prioridade nos primeiros meses de vida. Assim que nascem, os recém-nascidos passam pela triagem neonatal, que inclui diversos exames (Teste do Olhinho, Teste da Linguinha, Teste da Orelhinha e Teste do Coraçãozinho), sendo o mais importante deles o Teste do Pezinho.

O Teste do Pezinho


Esse exame é capaz de detectar doenças genéticas ou congênitas que, ao serem identificadas precocemente, permitem o tratamento e o acompanhamento desde o início. Recomenda-se que seja realizado o mais cedo possível, até os 5 dias de vida do bebê, sem ultrapassar 30 dias. O Teste do Pezinho, como o nome sugere, é feito a partir da coleta de sangue do calcanhar do recém-nascido.
Aqui na Beep, existe a versão ampliada desse exame, que é capaz de rastrear mais de 100 doenças diferentes. Você pode fazer o Teste do Pezinho no conforto de casa, no melhor horário e dia para sua rotina. É só baixar o app!
Alguma dúvida sobre o assunto? Leia o artigo completo sobre o Teste do Pezinho.

Vacinas dos primeiros 6 meses


Outro cuidado fundamental desse primeiro momento de vida é garantir a proteção contra doenças que podem ser fatais, como pneumonia, difteria e poliomielite, entre outras.
Os bebês precisam tomar cerca de 10 vacinas até os 6 meses de idade. A maioria está disponível na rede pública, mas algumas não. Na rede privada, a formulação de algumas vacinas pode incluir mais de um imunizante, diminuindo o número de picadas (como a hexavalente). Algumas também conseguem proteger o organismo contra um número maior de variantes do microrganismo ou do vírus e bactéria, aumentando a proteção, como é o caso da pneumocócica 13-valente.
Na Beep, você consegue resolver a vacinação dos pequenos com pacotes especiais para 2, 4 e 6 meses. Em apenas uma visita à sua casa, é possível aplicar 3 vacinas fundamentais para as crianças nesse período. Prático, simples e confortável.


A vida dos adultos


Sem dúvidas, o primeiro mês do recém-nascido é o mais complexo. Em meio a tantas alegrias com a chegada do bebê, a família também está passando por uma adaptação intensa. É fundamental, nesse primeiro momento, as mães puérperas e os pais de primeira viagem terem uma forte rede de apoio.
A ajuda pode vir de várias formas: seja cuidando do bebê enquanto os pais descansam, fazendo uma limpeza na casa ou preparando uma refeição.

Atenção à saúde mental materna


Em alguns casos, se essa transição não for feita com uma rede de apoio presente (seja familiares, pessoas contratadas ou amigos), a mãe puérpera pode sofrer de baby blues ou de depressão pós-parto. Aqui no blog, preparamos um texto explicando melhor como ficar atento aos sinais e tentar evitar esses quadros.

Amamentação


Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, a recomendação é que, até os 6 meses, a amamentação seja a única fonte de nutrição dos bebês. Eles só passam a comer alimentos sólidos depois dessa idade – quando costumam iniciar a Introdução Alimentar. A instituição também incentiva o aleitamento materno e o uso de fórmulas apenas em casos específicos.
Para que isso seja possível, devemos estar atentos às necessidades e aos desafios que a mãe pode encarar. O suporte do pai, ou de outro cuidador, e da rede de apoio é fundamental no processo.
Para tirar algumas dúvidas sobre o assunto, a Dra. Ana Bárbara Januzzi conversou com a gente sobre a importância do aleitamento materno.
Por fim, em muitos casos, pode ser necessária a ajuda de profissionais especializados no tema, como as consultoras de amamentação.

Sono


Como já falamos, nos primeiros 6 meses de vida de um bebê, a amamentação é grande parte da rotina, fazendo com que eles acordem várias vezes à noite para mamar. Além disso, o corpo do recém-nascido ainda está se estruturando e o sistema digestivo não está completamente maduro. Também é normal acordar diversas vezes para trocar fraldas.
Há outros motivos que podem fazer o bebê despertar ou não dormir bem à noite nessa época: cólicas, excesso de estímulos, falta de uma rotina de sono, níveis elevados de cortisol (hormônio associado ao estresse) etc. O fato é que todas essas situações afetam diretamente a rotina de sono dos responsáveis.
A privação de sono é um dos principais fatores para condições psicológicas desfavoráveis. Pais e cuidadores exaustos também podem causar acidentes – não propositalmente, mas devido ao cansaço do cérebro. Por isso, o sono é outro tópico que deve ser priorizado na família durante os primeiros meses de vida do recém-nascido. Algumas opções são: fazer um revezamento de cuidados e dormir quando os bebês cochilarem ao longo do dia.

Não esqueça de aproveitar os momentos


Sabemos que a chegada do bebê é um momento desafiador e é normal se sentir cansado e inseguro. Mas, nossa sugestão é que você curta cada etapa, mudança e marco de desenvolvimento. Os dias passam devagar, mas os anos voam! Quando você piscar, o seu bebê já terá idade suficiente para sair da sua casa e explorar o mundo. Aproveite enquanto estão por perto – com paciência, carinho, amor e muita saúde.

Conte com a Beep para cuidar da sua saúde e do seu bebê!


Aqui, você pode realizar exames, aplicar imunoglobulinas e se vacinar, além de vacinar os seus filhos.
Baixe o nosso aplicativo e faça tudo no conforto de casa. O nosso atendimento é de domingo a domingo (inclusive nos feriados) e leva apenas 3 minutos para você agendar o dia e o horário da nossa visita. #FazUmBeep! 🙂