Você sabia que taquicardia, ansiedade e falta de apetite são alguns sintomas do excesso de hormônios da tireoide? Se você não faz ideia, este post é para você. No nosso blog, vamos explicar o que é hipertireoidismo e também:

A imagem mostra o médico tocando o pescoço da paciente para examinar a tireoide. Essa imagem representa o post sobre o que é hipertireoidismo.


O que é hipertireoidismo?


O hipertireoidismo ocorre quando a glândula tireoide produz mais hormônios T3 (tri-iodotironina) e T4 (tiroxina) do que é necessário para o organismo. Muito mais comum de aparecer em mulheres, quem possui essa doença pode ter sintomas suaves ou graves (com risco de morte). A boa notícia é que, dependendo da causa, há chance de cura.

Quais são os tipos de hipertireoidismo?


Existe o hipertireoidismo subclínico e o clínico. No primeiro, a quantidade de TSH fica menor no sangue, mas os níveis de T4 ainda ficam normais. O subclínico é a fase inicial e é bem mais brando. Já o clínico tem uma gravidade maior. Nesse tipo, o TSH também é reduzido na corrente sanguínea, mas a diferença é que o hormônio T4 é produzido em excesso.

Qual é a diferença do hipertireoidismo para o hipotireoidismo?


A diferença entre o hipertireoidismo e hipotireoidismo é que o primeiro ocorre quando a tireoide produz mais hormônios tireoidianos do que o necessário. Já o hipotireoidismo é o oposto: ocorre quando essa glândula produz menos do que o organismo realmente precisa. 

Quais são as causas do hipertireoidismo?


Existem várias causas
  • Aparecimento de nódulos na tireoide;
  • Doença de Graves (doença autoimune em que os anticorpos atacam as células da própria tireoide e induzem essa glândula a gerar hormônios tireoidianos em excesso);
  • Inflamação na tireoide (tireoidite);
  • Reposição de hormônios tireoidianos em excesso (pode ocorrer durante o tratamento de pessoas com hipotireoidismo);
  • Uso de remédios que tenham uma quantidade excessiva de iodo em sua composição;
  • Entre outros.

Quais são os fatores de risco para o aparecimento do hipertireoidismo?


Os fatores de risco são: ser mulher, ter doenças (como anemia perniciosa, diabetes tipo 1 e insuficiência adrenal primária) e ter alguém na família que já adquiriu a Doença de Graves. 

Quais são os sintomas do hipertireoidismo?


Quando a pessoa está com a doença, ela pode apresentar: 
  • Ansiedade;
  • Aumento da tireoide (bócio);
  • Crescem as chances de aborto espontâneo;
  • Falta de apetite;
  • Fraqueza muscular (principalmente nas coxas e nos braços);
  • Irritação;
  • Intestino solto;
  • Mudanças no período menstrual;
  • Nervosismo;
  • Perda de peso e de cálcio (sobre esse último, aumentam as chances da pessoa ter osteoporose e fraturas);
  • Queda de cabelo;
  • Taquicardia; 
  • Unhas que crescem rápido, mas podem descamar;
  • Pessoas com a doença de Graves podem ter protusão dos olhos (com ou sem visão dupla). 

Quando a pessoa tem o hipertireoidismo leve, é possível que ela não tenha sintomas que podem ser reconhecidos de forma fácil. Em outros casos, é possível ter sinais que não são tão específicos, como desconforto e fraqueza.

Como saber se a pessoa tem hipertireoidismo?


O ideal é a pessoa procurar um(a) endocrinologista. Esse especialista é o mais adequado para fazer uma análise clínica e indicar exames que possam confirmar a presença — ou não — da doença. 

Como diagnosticar o hipertireoidismo?


O hipertireoidismo pode ser detectado por meio de um exame de sangue (para verificar as dosagens do hormônio TSH, T3 e T4), físico e histórico médico. Se os resultados dos exames de tireoide indicarem a presença da doença, médicos podem solicitar um teste de captação de radioiodo, escaneamento e ultrassom dessa glândula. 


Como tratar o hipertireoidismo? 


Existem vários tipos de tratamento para o hipertireoidismo. A pessoa com a doença pode precisar de medicamentos, ingerir iodo radioativo ou fazer uma cirurgia para a retirada da tireoide (procedimento chamado de tireoidectomia). 
Se a pessoa tem a doença de Graves e desencadeia a oftalmopatia de Graves, a recomendação pode ser diferente, dependendo da intensidade desse sintoma: 
  • Leve: pode ser recomendado o uso de lágrimas artificiais e géis lubrificantes;
  • Grave: devem ser utilizados medicamentos com corticosteroides.

Para quem tem essa doença autoimune, dependendo do caso, dois tipos de cirurgias nos olhos também podem ser recomendados: 
  • Descompressão orbital: serve para melhorar a visão e dar espaço para os olhos voltarem ao normal;
  • Da musculatura ocular: para corrigir a visão dupla ou estrabismo.

Qual é o melhor tipo de tratamento?


O melhor tipo de tratamento deverá ser escolhido pelo médico, levando em conta os seguintes fatores: 
  • Causa da doença;
  • Condição física;
  • Gravidade do hipertireoidismo;
  • Idade;
  • Preferência pessoal. 

Hipertireoidismo tem cura? 


O hipertireoidismo tem cura, dependendo da causa. A exceção é para pacientes com a doença de Graves. Para esses, só existe tratamento disponível capaz de impedir que a doença avance ou se agrave. 

Hipertireoidismo e gravidez: qual é a relação? 


Quando a gestante não faz o tratamento dessa doença corretamente, pode haver algumas consequências, como alterações no feto ou aborto.

Com a Beep, fazer exames de tireoide é mais fácil! 


Esqueça a ideia de esperar horas em um laboratório para ser atendido(a). Com a gente, você pode fazer os exames de sangue (TSH, T3 livre/total e T4 livre/total) no conforto da sua casa. 
O nosso atendimento é feito de domingo a domingo (inclusive nos feriados) para você encontrar a data e o horário que mais se encaixam na sua rotina. Precisa fazer um desses exames? Agende agora. Leva só 3 minutinhos e é sem taxa domiciliar!