Pneumonia: sintomas, tratamento, propagação, vacinas

Apesar de ser uma doença associada à velhice, a pneumonia, também conhecida como doença pneumocócica, é responsável por 15% de todas as mortes de crianças menores de 5 anos em todo o mundo – esses dados são da Organização Mundial da Saúde (OMS). Sendo assim, devemos ficar atentos não somente com os idosos.  Entre os adultos a partir dos 50 anos, principalmente acima dos 60 anos de idade, a pneumonia também é uma das principais causas de internação hospitalar e morte, dados mais conhecidos por todos.  A boa notícia é que a bactéria Spreptococcus pneumoniae (pneumococo), causa não somente da pneumonia como de outras infecções como otite,  meningite e bacteremia, pode ser prevenida por meio da vacinação. Contudo, estar em dia com o calendário vacinal é primordial.  A pneumonia é mais comum no inverno e tem quadro agravado por ser frequentemente associada à gripe. Diferentemente do vírus da gripe, altamente infectante, os agentes infecciosos da pneumonia (bactérias, vírus e fungos) não costumam ser transmitidos com facilidade. 

O que você vai ver nesse texto: 

  • Como diferenciar pneumonia de resfriado?
  • Quais são os sintomas da pneumonia?
  • Qual o diagnóstico e o tratamento da doença?
  • Quem tem pneumonia é necessariamente internado?
  • Tabagismo e ar condicionado facilitam a instalação de pneumonia?
  • Quais são os fatores de risco?
  • Como prevenir a pneumonia?
  • Frio causa pneumonia?
  • Pneumonia é contagiosa?
  • O que é doença pneumocócica invasiva?

Como diferenciar pneumonia de resfriado? 

  • Enquanto a febre alta é mais comum na pneumonia, acima de 38,5°C, os resfriados costumam provocar febre baixa;
  • A pneumonia provoca dor no tórax, já que há inflamação nos pulmões. Essa dor não existe no resfriado. 
Falta de ar, confusão mental e mal estar generalizado são sintomas que surgem na pneumonia e não acontecem em resfriados, portanto, ótimos para você conseguir diferenciar uma doença da outra.

Quais são os sintomas da pneumonia?

A pneumonia não é exclusiva nos idosos, portanto, estar atento aos possíveis sintomas é de extrema importância para que o tratamento seja iniciado rapidamente: 
  • Febre alta;
  • Tosse;
  • Dor no tórax;
  • Alterações da pressão arterial;
  • Confusão mental;
  • Mal estar generalizado;
  • Falta de ar;
  • Secreção de muco purulento de cor amarelada ou esverdeada;
  • Toxemia (excesso de toxinas no sangue);
  • Prostração.

Qual o diagnóstico e o tratamento da doença?

O médico deve fazer o exame físico da pessoa, incluindo a contagem da frequência respiratória e a ausculta dos pulmões para identificar um chiado característico da pneumonia. Além disso, é realizada uma radiografia para analisar a região. O tratamento não costuma ser demorado, no entanto, requer o uso do antibiótico correto para o quadro de febre e de toxemia apresentar melhora em torno de 3 a 4 dias. Os sintomas costumam desaparecer em 7 a 10 dias, contando do início do tratamento. Mesmo estando curado há um mês, a radiografia ainda pode mostrar uma alteração, por isso, é bom manter um acompanhamento por tempo mais prolongado, mesmo após a cura.

Como prevenir a pneumonia?

A vacinação anual é essencial para manter-se protegido contra a gripe, que pode ser um fator de risco para pneumonia. São elas: Pneumocócica 13 Valente e Pneumocócica 23 Valente. Além disso, listamos alguns outros fatores:
  • Não fumar nem beber exageradamente;
  • Fazer manutenção frequente e adequada dos aparelhos de ar-condicionado;
  • Hidratação e boa alimentação;
  • Aparecendo os primeiros sintomas, procurar um médico com urgência, diminuindo a probabilidade de complicações. 

Quem tem pneumonia é necessariamente internado?

Esse procedimento não é obrigatório. Por isso, muitos tratamentos podem ser feitos em casa após o diagnóstico, com medicação prescrita. Porém, falta de ar, baixa oxigenação e complicações provocadas pela doença podem indicar internação. Sendo assim, mesmo realizando o tratamento em casa, é fundamental ter um acompanhamento médico.  Na maior parte dos casos, a internação está associada aos idosos acometidos pela doença, por terem, geralmente, um quadro mais grave e necessitarem da aplicação de antibiótico por via endovenosa.

Tabagismo e ar condicionado facilitam a instalação de pneumonia?

Pessoas que possuem o hábito de fumar têm maior risco de pegar a doença. O fumo, por si só, já causa uma reação inflamatória, facilitando a entrada de outros agentes agressores nos pulmões.  Ambientes secos, característicos do uso de ar-condicionado, tendem a facilitar a invasão por microorganismos que ficam continuamente circulando no ambiente. Portanto, podemos levar em consideração que esses dois cenários facilitam, sim, a instalação da doença – e, como veremos abaixo, são até mesmo fatores de risco. 

Quais são os fatores de risco?

  • Fumo: como já citamos acima, o tabagismo causa reação inflamatória, o que facilita a invasão de agentes infecciosos;
  • Álcool: afeta o sistema imunológico e a capacidade de defesa do aparelho respiratório;
  • Ar-condicionado: faz com que o ar do ambiente fique muito seco, facilitando a infecção por vírus e bactérias; 
  • Gripes mal cuidadas; 
  • Extremos de idade: bebês e idosos.

Frio causa pneumonia?

O frio é uma temperatura propícia para as pessoas se aglomerarem em ambientes fechados, facilitando a transmissão dos agentes infecciosos de uma pessoa para a outra. No entanto, o frio em si não causa a doença, porém, a aglomeração em consequência dele, sim.

Pneumonia é contagiosa?

As pneumonias causadas por vírus são mais facilmente transmissíveis de um indivíduo para outro. No caso das pneumonias bacterianas, a transmissão é mais difícil, mas também pode acontecer, principalmente se a pessoa estiver mais vulnerável.

O que é doença pneumocócica invasiva?

É quando a bactéria invade partes do corpo normalmente livres de microrganismos, como por exemplo a rede sanguínea (bacteremia) e os tecidos e fluidos que rodeiam o cérebro e medula espinhal (meningite). Quando esse quadro ocorre, normalmente é muito grave e pode levar à hospitalização e até a morte. 

Que bom que chegou até aqui!

Viu quantas informações importantes uma única doença pode ter? Percebeu como a prevenção é o primeiro passo de uma vida saudável para você e sua família? Lembre-se sempre de que, surgindo alguns dos sintomas citados acima, a primeira medida a tomar é entrar em contato com o seu médico ou ir ao posto de saúde mais próximo. Ah, e lembre-se de que você pode contar com a Beep! ________________________________________________ Fontes: Drauzio Varella SBIm