Gripe: O que é? Sintomas, Vacinas, gripe H1N1

Você sabia que a gripe fez governos do mundo inteiro gastarem milhões de dólares na preparação de uma potencial pandemia da gripe aviária H5N1, no final da década de 90? Compras de fármacos e vacinas, desenvolvimento de medidas para controlar fronteiras, entre outras, foram os principais gastos. 

Isso é um pequeno exemplo do que uma epidemia ou pandemia da gripe pode causar em termos globais. Doenças relacionadas à gripe causam até 650 mil mortes por ano no mundo! 

Mas, afinal, o que é exatamente essa doença, como prevenir, tratar e saber os seus sintomas?

Preparamos um texto completo para você!

Aquele resumão do que você vai ver por aqui: 

  • O que é a gripe?
  • Como é a transmissão da gripe?
  • Qual a diferença entre gripe e resfriado?
  • Quais são os estágios da gripe?
  • Qual é o diagnóstico da gripe?
  • Qual é o tratamento da gripe?
  • Quais as melhores formas de prevenção?
  • Se eu tomar a vacina vou ficar gripado?
  • Por que eu devo tomar a vacina contra gripe todo ano?  
  • Gripes H1N1 e H5N1 (suína e aviária)

O que é a gripe?

A Influenza, mais conhecida como gripe, é uma das viroses mais comuns no mundo, e que costuma gerar complicações, principalmente em crianças pequenas, idosos, gestantes, puérperas e pessoas com a saúde comprometida (portadores de doenças respiratória ou cardíaca, obesidade, diabetes, trissomias, deficiência de imunidade, entre outras).

Mais frequente no outono e no inverno ou em períodos mais frios, mas pode haver surtos ao longo do ano. No Brasil, entre abril e outubro ocorre a temporada da doença, principalmente nas regiões nas quais as condições climáticas são mais definidas.

Como é a transmissão da gripe (Influenza)?

Quando estamos com gripe, é importante tomarmos cuidados como cobrir a boca ao tossir ou espirrar, pois é a inalação de partículas de secreção infectada suspensas no ar a principal responsável pela transmissão da doença. Portanto, a transmissão se dá pela via  respiratória.

É possível que o contato com superfícies infectadas facilite a transmissão.

Quando o vírus vence as defesas respiratórias e consegue entrar nas células para sobreviver, começa a se replicar. A partir daí, o indivíduo leva de 1  a 4 dias para manifestar os sintomas provocados pela multiplicação dos vírus e pela resposta inflamatória que induzem.

Qual é a diferença entre gripe e resfriado?

São algumas as diferenças. Listamos aqui para que você tenha uma fácil comparação:

Gripe

  • Inicia subitamente;
  • Sintomas generalizados;
  • Febre, calafrios, dores musculares, tosse, dor de garganta, mal-estar geral e perda de apetite;
  • Dura entre uma e duas semanas;
  • Causada pelo vírus Influenza;
  • Pode evoluir com complicações graves. 

Resfriado

  • Inicia gradualmente;
  • Sintomas localizados (nariz e garganta);
  • Coriza, congestão nasal e tosse;
  • Recuperação rápida (em geral, menos de 4 dias);
  • Causada por outros vírus, como o Rinovírus, por exemplo;
  • Pode evoluir com complicações leves/moderadas.

Quais são os estágios da gripe (Influenza)?

Geralmente, a gripe inicia abruptamente, provocando febre alta, acima de 38ºC, dores de cabeça e no corpo, mal estar e fraqueza. Tosse seca (no início), dor de garganta e coriza são outros sintomas que podem aparecer inicialmente.

Quando o quadro não é complicado, a gripe pode melhorar em até cinco dias, contando a partir do início dos sintomas. Em alguns casos, porém, ela pode durar mais de uma semana, sendo que algumas pessoas podem levar semanas para uma recuperação total. 

Às pessoas vulneráveis, a doença pode ser mais perigosa, sendo, inclusive, chamada de gripe complicada desencadeando em:

  • Pneumonia causada diretamente pelo vírus influenza (pneumonia viral);
  • Pneumonia bacteriana (quando as bactérias se aproveitam da fragilidade do organismo e infectam os pulmões);
  • Acometimento dos músculos (miosite) ou do sistema nervoso (encefalite ou polirradiculoneurite).

Maior risco de complicações

Apresentam maior risco de complicações as crianças menores de 2 anos, gestantes, puérperas, adultos acima de 65 anos, quem vive em asilos ou instituições de saúde, doentes crônicos como diabéticos e pneumopatas e obesos.

Qual é o diagnóstico da gripe (Influenza)?

Principalmente quando há epidemia, o diagnóstico é clínico, sem a necessidade de realização de exames laboratoriais. Geralmente, indivíduos com febre e sintomas respiratórios que se manifestaram há menos de 48 horas recebem o diagnóstico da doença.

Idosos, gestantes e indivíduos que precisam ser hospitalizados por terem uma rápida evolução da doença ou a mesma se manifestar de forma mais grave, podem realizar exames para confirmação do diagnóstico com o objetivo de uma melhor condução do tratamento.

Qual é o tratamento da gripe (Influenza)?

Na maior parte dos casos, o tratamento de suporte com analgésicos, antitérmicos, repouso e hidratação é suficiente.

Em outros casos, a introdução de medicamentos antivirais se faz necessária, atuando especificamente sobre o vírus – porém, eles fazem um melhor efeito quando administrados nas primeiras 48 horas a partir do início dos sintomas. Nesses casos, o médico é a pessoa mais indicada para decidir sobre a medicação.  

Somente nos casos de infecções bacterianas, que podem ocorrer como  complicações da infecção por Influenza, são prescritos antibióticos.

Quais são as melhores formas de prevenção?

Sem dúvida, a vacinação contra a gripe é a forma mais eficaz de prevenção. Logo em seguida, os cuidados básicos de higiene.

Na rede privada, a vacina está disponível a partir dos 6 meses e é liberada para todas as faixas etárias. Na rede pública, há o grupo prioritário, que engloba crianças de 6 meses a menores de cinco anos, gestantes, puérperas, trabalhador de saúde, povos indígenas, indivíduos com 55 anos de idade ou mais, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis ou pessoas portadoras de outras condições clínicas especiais.

Se eu tomar a vacina vou ficar gripado? 

Não, pois trata-se de uma vacina inativada, portanto não causa a doença. O que acontece é que, em alguns casos, a pessoa recebe a vacina já tendo o vírus incubado no organismo, e por isso, acaba desenvolvendo a doença mesmo após a vacinação.

Normalmente, os  eventos adversos da vacina contra a gripe são locais, como dor e inchaço no local da aplicação durante algumas horas. Pode ocorrer um quadro similar ao de um resfriado comum.

Por que eu devo tomar a vacina contra gripe (Influenza) todo ano?  

O vírus sofre alterações, portanto, é produzida uma nova vacina contra gripe anualmente. Algumas  cepas podem se repetir, mas esse ano, por exemplo, todas as três cepas da vacina do SUS, a Trivalente, mudaram.

Na rede privada, a vacina disponível é a Tetravalente que possui uma cepa B adicional e, por isso, maior proteção. 

Vale ressaltar que a pessoa leva duas semanas para desenvolver a proteção (anticorpos) adequada após a vacinação.

Todos devem tomar a vacina ano a ano, especialmente, crianças (principalmente menores de 5 anos), adultos acima de 50 anos, gestantes, puérperas, pessoas privadas de liberdade, imunossuprimidos (pacientes com HIV, transplantados), doentes crônicos e profissionais da saúde.

Cobrir a boca ao tossir ou espirrar e manter as mãos limpas (lavar, principalmente sempre após utilizar banheiros e transportes públicos) ajudam a evitar a possível transmissão por contato. 

Gripes H1N1 e H5N1 (suína e aviária)

A maior parte dos casos de gripe é causados por cepas dos vírus Influenza A e B. Dentro destes grupos, há cepas que podem causar epidemias como as que ocorreram em 1998 com a gripe aviária (H5N1) e em 2009 com a gripe suína (H1N1)


Que bom que chegou até aqui!

Viu quantas informações importantes uma única doença pode ter? Percebeu como a prevenção é o primeiro passo de uma vida saudável para você e sua família? Lembre-se sempre de que, surgindo alguns dos sintomas citados acima, a primeira medida a tomar é entrar em contato com o seu médico ou ir ao posto de saúde mais próximo.

Ah, e lembre-se de que você pode contar com a Beep!

________________________________________________________________________________________________________

Fontes:
Drauzio Varella
Albert Einstein
SBIm