A gravidez é um momento muito especial, que pode trazer uma mistura de emoções mesmo para as mães que não são de primeira viagem. É nessa etapa que o corpo muda e se prepara para a chegada do bebê. Mas você sabe quais transformações são essas? É o que você vai descobrir nesse post sobre o calendário de gestação
Mulher e homem seguram uma foto com a ultrassonografia de um feto de semanas, de acordo com o Calendário de Gestação.

Calendário de gestação: entenda esse guia semanal


Uma gestação dura, em média, 9 meses. Entretanto, assim que a gestante começa a ir às consultas com o obstetra, ela percebe que o médico não conta o tempo de gravidez em meses, mas sim em semanas. 

Por que a gravidez é contada em semanas? 


A principal explicação é porque ocorrem muitas mudanças no corpo da mulher e do feto de um jeito relativamente rápido, principalmente, na 1ª metade da gestação (os 4 primeiros meses e meio de gestação). 
Então, a contagem em semanas permite que os médicos definam de forma exata o tempo de cada uma dessas alterações.


Como é dividida a Idade Gestacional (IG)? 


Uma gestação é separada em 3 trimestres e cada um deles corresponde a um intervalo de semanas.
Quer saber em detalhes quais são? Confira o calendário de gestação abaixo. Ele funciona como uma tabela de gravidez e vai te ajudar a entender melhor: 
Uma tabela com a relação entre trimestre, meses e semanas de gravidez, de acordo com o calendário de gestação  

Como calcular a sua Idade Gestacional (IG)? 


Existe um método que faz uma estimativa do tempo de gravidez/idade do feto. Ele depende da Data da Última Menstruação (DUM) sendo equivalente ao 1º dia de sangramento do último período menstrual. 
Para calculá-la, existem 3 cenários possíveis: 
  • Se você sabe e tem certeza da data da última menstruação (DUM): 


Esse método é utilizado para calcular a IG de mulheres com um ciclo menstrual regular que não utilizam anticoncepcionais hormonais.
É preciso anotar a data da última menstruação (DUM) em um calendário. Depois, some o número de dias do intervalo entre a DUM até a data da consulta. Em seguida, divida o total por 7. O resultado dessa conta será o número de semanas de gestação. 
Para ficar um pouco mais claro, vamos trazer um exemplo. Imagine que você está no dia 10/08/2021 querendo saber com quantas semanas de gravidez está. Você tem certeza de que a data da última menstruação foi no dia 02/06/2021. 
O que fazer? 
  • 1º Localize a data da última menstruação no calendário;
  • 2º Conte quantos dias têm entre o dia 02/06/2021 e 10/08/2021; 
  • 3º Divida o resultado por 7.

Nesse exemplo, seriam 69 dias divididos por 7. O resultado seria 9,8 semanas.
  • Se você não tem certeza sobre a data da última menstruação (DUM), mas sabe em qual mês ela ocorreu:


Caso tenha sido no começo, meio ou no fim do mês, deve-se considerar como data da última menstruação (DUM) respectivamente os dias 5, 15 ou 25. Depois, é só seguir a mesma orientação do item anterior para calcular a semana, obtendo uma IG aproximada.  
  • Se você não sabe nem o mês e nem a data última menstruação (DUM): 


O diagnóstico seria feito de maneira aproximada. O médico pode fazer a medida da altura do fundo do útero e pelo toque vaginal. Segundo o Ministério da Saúde, para avaliar de forma aproximada a IG com esse método, seriam considerados os seguintes parâmetros:
  • 1ª a 6ª semana: não há alteração do tamanho do útero;
  • 8ª semana: o tamanho uterino corresponde ao dobro do normal;
  • 10ª semana: o tamanho do útero corresponde a 3 vezes do normal;
  • 12ª semana: o útero enche a pelve de forma palpável na sínfise púbica;
  • 16ª semana: o fundo do útero fica entre a sínfise púbica e a cicatriz umbilical;
  • 20ª semana: o fundo uterino fica localizado na altura da cicatriz umbilical;
  • Depois da 20ª semana: há uma relação direta entre as semanas de gravidez e a medida da altura do útero;
  • A partir da 30ª semana: esse parâmetro fica bem menos fiel. 

Outra forma é por meio de informações sobre a data de início dos movimentos do feto que ocorre, normalmente, entre a 16ª e a 20ª semana. Se não for possível saber a idade gestacional (IG) clinicamente, o ideal é realizar o exame de ultrassonografia obstétrica.

O que vai acontecer com o seu corpo durante a gestação? 


Um casal feliz comemorando o resultado positivo do teste de gravidez.
Agora que você já sabe qual é a sua idade gestacional, está pronta para saber quais serão as mudanças que poderão ocorrer no seu corpo em cada fase do calendário de gestação? Confira! 

1º trimestre de gravidez 


É uma fase inicial que está repleta de mudanças, afinal, é o momento em que o seu corpo está começando a se adaptar à gravidez. Então, é normal que apareça alguns sintomas, como: 
  • Aumento da fome, cansaço e vontade de urinar;
  • Crescimento dos seios; 
  • Enjoos e/ou vômitos;
  • Sonolência. 

Quer saber mais informações sobre esse assunto? Acesse o nosso post: Sintomas de gravidez: veja quais são e quais exames fazer 
Só é importante frisar que nem todas as mulheres vão apresentar os mesmos sintomas. 

2º trimestre de gravidez 


Nessa fase, o seu corpo vai mudar rapidamente e as sensações de desconforto que existiam lá no começo vão desaparecer. Você vai ver a sua barriga crescer acompanhada de alterações nos seios e quadris.
Mas é nesse momento que você vai começar a sentir os primeiros movimentos do bebê dentro da sua barriga. 

3º trimestre de gravidez 


É a reta final da gestação e o seu bebê está perto de chegar! Mas até o momento do nascimento, o seu corpo ainda vai passar por mais algumas alterações. 
Nessa fase, é normal sentir uma sensação de peso e desconforto, porque o bebê vai estar ocupando mais espaço na barriga. Você pode sentir também menos sono. 
Já no seu peito pode sair um líquido amarelado, conhecido como colostro, que vai servir de alimento para o seu bebê durante os primeiros dias após o nascimento dele.

E com o bebê? Saiba o que vai acontecer com ele durante a gestação


Mulher grávida segurando uma foto da ultrassonografia do feto.
Assim como a gestante, o seu bebê também vai passar por muitas transformações até o nascimento. Veja cada uma delas! 
Entre as principais mudanças estão: o crescimento do feto, desenvolvimento dos dedos, formação do rosto, entre outras. Veja em detalhes: 
  Infográfico sobre o Desenvolvimento Fetal que ocorre durante o 1º Trimestre de gestação.  Veja em detalhes: 4ª semana: O feto tem o tamanho de um grão de arroz. Começam os batimentos cardíacos e surgem pequenos brotos que vão se transformar em braços e pernas depois. Entre a 4ª e 8ª semana: O feto está do tamanho de uma ervilha. Começa o desenvolvimento dos dedos, mãos, orelhas e órgãos internos. Entre a 9ª e 12ª semana: O rosto do feto está praticamente formado e os olhos possuem pálpebras. Começa um melhor funcionamento do cérebro. O feto começa a mexer os braços e as pernas. O coração pode ser ouvido pelo médico por meio de um aparelho próprio na consulta pré-natal.  

 2º trimestre de desenvolvimento do feto


Durante o 2º trimestre, o feto começa a ficar mais desenvolvido. Abaixo, trazemos todas as mudanças do feto semana a semana: 
Infográfico mostra o desenvolvimento fetal durante o 2º trimestre de gestação. Veja em detalhes: A partir da 14ª semana: começam os movimentos das mãos e a respiração se desenvolve melhor. Entre a 15ª e 16ª semana: a pele do bebê, que ainda está transparente, começa a engrossar. O feto passa a ter cílios, sobrancelhas e os movimentos passam a ser percebidos. O coração do bebê bate bem mais rápido do que o da mãe. Entre a 17ª e 18ª semana: o feto já consegue sugar, engolir, piscar e soluçar. Entre a 20ª e 24ª semana: Há intensificação do movimento fetal a ponto da mãe senti-lo. Todo seu organismo funciona de forma harmônica. A alimentação do feto ocorre pelo cordão umbilical e a placenta.

3º trimestre de desenvolvimento do feto 


É a reta final da gravidez. Hora que o seu bebê está pertinho de chegar! Nesse período, alguns fetos viram de cabeça para baixo. 
Abaixo, vamos trazer as informações sobre esse último período de gestação. Confira!  
  Desenvolvimento fetal durante o 3º trimestre. Veja em detalhes: 27ª a 30ª semana: o feto já consegue abrir e fechar os olhos e perceber a luz de fora do útero.  O bebê escuta e identifica diversos sons, podendo até tomar sustos com barulhos altos.  A pele do feto fica coberta pelo vérnix, uma espécie de creme branco, que protege e ajuda o bebê a deslizar durante o parto.  

Quais são os cuidados que você deve ter durante a gravidez? 


As gestantes devem procurar o médico para fazer o seu pré-natal. Além disso, precisam ter cuidados com a alimentação e higiene bucal. Uma boa dica é também acompanhar o calendário de gravidez para entender todas as mudanças. 
Também é muito importante que você faça exames pré-natais e deixe a vacinação em dia. Confira em detalhes cada uma dessas orientações:

Cuidados com a alimentação


A alimentação da gestante deve ser saudável e balanceada. Ela é importante para o desenvolvimento do feto e posteriormente do bebê, uma vez que o período gestacional está incluído nos primeiros mil dias da criança, que são cruciais para um bom crescimento e desenvolvimento infantil. 
O ideal é que você beba água entre as refeições, faça as 3 principais refeições do dia e mais 2 menores (para evitar ficar muito tempo sem comer). 
Outra orientação importante é que, na maior parte das suas refeições, você prefira ingerir alimentos naturais e de origem vegetal, como: feijão, legume, verdura, fruta, etc. 
E o que você deve evitar? 
  • Beber refrigerante, álcool, suco artificial, entre outros;
  • Comer carne vermelha em excesso e com gordura;
  • Drogas;
  • Exagerar na quantidade de óleo, gordura e açúcar nas refeições;
  • Fumar;
  • Ingerir alimentos industrializados e/ou processados.

Cuidados com a higiene bucal


Durante esse período, pode ser que as gengivas fiquem mais sensíveis e possam ser facilmente irritadas pela placa bacteriana. Por isso, redobre a atenção com a higiene bucal. 
Use escova, pasta de dente e fio dental. Se possível, faça o acompanhamento com um dentista durante o pré-natal. 

Cuidados durante o acompanhamento do pré-natal


É muito importante que as gestantes façam consultas de pré-natal, que são realizadas pelos  obstetras. Pode ser recomendados alguns exames, como: 
  • Hemograma;
  • Eletroforese de hemoglobina;
  • Preventivo de câncer de colo de útero;
  • Sorologia para Toxoplasmose;
  • Urina e urocultura;
  • Teste rápido de sífilis e VDRL;
  • Testes de HIV;
  • Teste de Malária;
  • Sorologias para Hepatite B (HBsAg);
  • Tipagem sanguínea e fator Rh.

Vacinas durante a gravidez


Manter o calendário de vacinação em dia durante a gravidez é muito importante para proteger tanto a mulher quanto o bebê. 
No vídeo da nossa Pediatra e Infectologista Cristiana Meirelles, ela explica em detalhes sobre essa importância:

Confira a lista de vacinas que a gestante precisa colocar em dia: 
  • Vacina dTpa: deve ser aplicada a partir da 20ª  semana de gravidez e o número de doses dependerá se a gestante estava com sua vacinação em dia ou não, antes da gravidez;
  • Vacina contra a Hepatite B: se você não for vacinada, a recomendação é tomar 3 doses;
  • Vacina contra gripe (influenza): é recomendada para toda grávida e mulher depois do parto durante a campanha de vacinação.

Onde fazer os exames e vacinas? 


Você pode fazer o exame de sangue e de urina pela Beep. Aqui, você encontra também a Vacina dTpa, Vacina contra a Hepatite B e Vacina contra a gripe (Influenza).
E o melhor: você pode fazer esses exames e aplicar as vacinas no conforto da sua casa, de domingo a domingo, e sem pagar taxas domiciliares. Baixe o nosso app e agende uma visita agora mesmo! 

Importante:


Você pode tirar suas dúvidas e fazer o agendamento dos seus exames laboratoriais e vacinas diretamente no aplicativo da Beep Saúde. É só clicar aqui para baixar!
Ah, aproveite para seguir a gente nas redes sociais: Twitter, Instagram e Facebook. Também temos vagas para entrar na #OndaVerde em nosso LinkedIn. Vai lá! 🙂
Compartilha com a gente se você está acompanhando o seu calendário de gestação! Assim, você vai ajudar outras pessoas que procuram por mais informações.
Fonte: 
Ministério da Saúde