É muito importante que a mulher se consulte com um médico de confiança frequentemente para verificar como está sua saúde. Existem alguns exames femininos essenciais para a saúde da mulher, e devem ser feitos sempre que necessário para acompanhamento.
Neste artigo, você entenderá mais sobre:

Quando a mulher precisa começar a fazer exames femininos de rotina?


É recomendado que a mulher comece a fazer acompanhamento médico com um ginecologista desde o início da menstruação. A partir daí, é necessário realizar esses exames de rotina até a terceira idade, inclusive durante a menopausa, podendo ser anualmente ou sempre que houver suspeitas.

Se a mulher estiver com algum problema de saúde, sintomas, queixas ou se forem mulheres gestantes, oncológicas e imunodeprimidas (indivíduos com suas defesas imunológicas baixas, com maior  facilidade para se infectarem), a frequência desses exames deverá ser maior. 
Uma paciente se consultando com uma médica ginecologista - exames femininos

Qual é a importância de realizar exames de rotina?


Existem algumas doenças frequentes na vida da mulher, como o câncer de mama, endometriose, IST (infecção sexualmente transmissível) dentre outras, e tendo um acompanhamento médico adequado, maiores são as chances de prevenção, diagnóstico precoce, tratamento e de cura. É importante que seja ensinado desde cedo o valor de se cuidar e estar atento a sua saúde.
Segundo a Febrasgo, o caso de câncer de mama, por exemplo, representa, aproximadamente, 24% dos casos em todo o mundo (registro do ano de 2018), com aproximadamente 2 milhões de casos novos, sendo a causa mais frequente de óbito por câncer em mulheres.
Por isso é imprescindível que as mulheres comecem a ter um acompanhamento ginecológico desde cedo, realizando os preventivos e exames solicitados pelo médico. Assim, além de diminuir o risco de detectar um tumor em seu nível mais avançado, também será possível mais chances de cura quando diagnosticado mais rapidamente.

Quais são os principais exames femininos que a mulher deve fazer?


São diversos exames solicitados às mulheres ao longo da vida e cada um vai depender do histórico da paciente, idade, seus sinais e sintomas. Veja abaixo quais são os principais exames: 

1- Ultrassonografia pélvica


Por meio de um exame de imagem, onde é possível observar os ovários e o útero, a ultrassonografia pélvica possibilita investigar e diagnosticar algumas doenças, como ovários policísticos, útero aumentado, endometriose, sangramento vaginal, gravidez ectópica (quando o feto se desenvolve fora do útero) e infertilidade.
Esse exame, quando feito por via transvaginal, traz imagens nítidas do sistema reprodutor feminino, possibilitando ao médico maior clareza para identificar algumas alterações.

2- Papanicolau


O exame papanicolau, conhecido também como exame preventivo, é um dos exames ginecológicos mais importantes que ajudam a analisar a saúde da mulher.
Por meio de uma raspagem do colo do útero, a amostra coletada possibilita identificar infecções vaginais, além de alterações no útero e na vagina, que indicam um quadro cancerígeno. O papanicolau é recomendado para todas as mulheres que já iniciaram a vida sexual, especialmente com idade acima dos 21 anos. 

3- Rastreamento infeccioso


O rastreamento infeccioso é um dos principais exames que permitem identificar doenças e infecções sexualmente transmissíveis, como: HIV, herpes, sífilis, clamídia e gonorreia. Esse exame pode ser realizado por meio de exame de sangue, da análise microbiológica da urina ou da secreção vaginal. Ele identifica a presença da infecção, além de indicar o microrganismo causador da doença.

4- Colposcopia


Com o exame de colposcopia é possível observar diretamente o colo do útero, a vulva e a vagina, permitindo identificar determinadas alterações benignas, tumor vaginal e sinais de infecção ou inflamação. Apesar de ser pedido como exame de rotina, ele costuma ser indicado quando o exame de papanicolau acusa alterações anormais.

5- Toque Vaginal


Conhecido também como exame de toque feminino, o toque vaginal é realizado durante a consulta ginecológica a fim de investigar alguma irregularidade na vagina ou no colo uterino. É possível identificar a endometriose ou doenças inflamatórias pélvicas.

6- Histerossalpingografia


Esse é um exame de raio-X que permite observar o colo do útero e as trompas de falópio, identificando inflamação das trompas uterinas, além de detectar uma possível causa de infertilidade. É realizado a depender de cada caso, devendo ser indicado de forma individualizada.

7- Ressonância magnética


Esse é um dos exames mais solicitados para observar e analisar as estruturas genitais. A ressonância magnética permite identificar quadros de alterações benignas e malignas, como:
  • Miomas (tumor benigno que se localiza no útero);
  • Endometriose;
  • Cisto no ovário (bolsa de líquido que se forma dentro ou ao redor do ovário);
  • Câncer de útero;
  • Câncer de vagina.

Além disso, esse exame também permite acompanhar alterações no sistema reprodutor feminino.

8- Laparoscopia diagnóstica


Esse exame é uma intervenção cirúrgica minimamente invasiva, também é conhecido como videolaparoscopia e por meio da introdução de um tubo fino com iluminação na região abdominal, é possível visualizar os órgãos reprodutores do abdômen. Com o exame de laparoscopia é possível identificar quadros de endometriose, causas de dor pélvica, infertilidade, além de gravidez ectópica.
Esse exame não é realizado como rotina, mas sim em casos de investigação diagnóstica, de forma individualizada.

9- Ultrassonografia da mama


A ultrassonografia da mama, geralmente, é solicitada após a suspeita de um nódulo (caroço) durante o autoexame da mama ou se a mamografia for inconclusiva.

Precisa fazer exame de sangue, urina ou fezes? Chame a Beep na sua casa!


Tomar banho, se arrumar, pegar transporte público ou particular e ficar horas na fila para fazer exames laboratoriais são situações que quem escolhe a Beep não passa, porque nós vamos até a sua casa.
O melhor? O nosso atendimento é de domingo a domingo (incluindo feriados) e você não paga taxa domiciliar.