Se você está ou conhece alguém que está na 3ª idade, sabe que os cuidados com a saúde precisam ser redobrados nessa fase da vida para aumentar, principalmente, a longevidade. Além da prática de atividade física, e tantas outras ações, a vacinação para idosos é uma grande aliada nesse processo. Leia esse post completo para entender melhor sobre o assunto! 
Pessoa idosa de máscara tomando um dos imunizantes recomendados no calendário de vacinação para idosos

Qual é a importância da vacinação em idosos? 


A vacinação em idosos diminui as internações e o risco de morte por causas infecciosas como pneumonia, por exemplo. Para garantir essa proteção, é fundamental que pessoas com mais de 60 anos mantenham o seu calendário de vacinação sempre atualizado. 

Quais são as vacinas de rotina para idosos? 


As vacinas de rotina que os idosos devem tomar são: contra a gripe (Influenza), Pneumocócicas 13 (VPC13) e 23 (VPP23), Herpes zoster, Tríplice bacteriana acelular do tipo adulto (dTpa ou dTpa-VIP), dupla adulto (dT) e Hepatite B. Entenda em detalhes: 

1. Vacina contra a gripe: 


Protege contra os vírus da gripe (Influenza) e é recomendada uma dose por ano. Na rede pública de saúde, ela está disponível para os idosos durante a campanha anual de vacinação na versão trivalente (que imuniza contra 3 cepas do vírus). 
Já na rede privada, a vacina está disponível ao longo do ano e tem uma maior cobertura, pois protege contra 4 cepas. 

2. Vacinas Pneumocócicas 13 (VPC13) e 23 (VPP23) 


A vacina Pneumocócica 13 (VPC13) protege contra otite, pneumonia, meningite e septicemia/bacteremia provocadas por 13 sorotipos de pneumococos. Já a Pneumocócica 23-Valente (VPP23) imuniza contra doenças provocadas por 23 sorotipos de pneumococos. 
A VPC13 é oferecida aos idosos somente na rede privada de saúde. Já a VPP23 está disponível na rede particular e na pública, sendo que, pelo SUS, somente asilados e grupos de risco aumentado podem tomá-la. 
Esquema de vacinação para idosos: vacinas pneumocócicas 13 e 23: Esquema principal: Vacina de rotina para maiores de 60 anos com VPC13, em dose única, seguida, após 6 a 12 meses, da VPP23. Cinco anos depois, é preciso aplicar a 2ª dose da VPP23. Para aqueles que já receberam uma dose de VPP23: Recomenda-se o intervalo de um ano para a aplicação de VPC13. A segunda dose de VPP23 deve ser feita cinco anos após a primeira, mantendo intervalo de seis a 12 meses com a VPC13. Para os que já receberam duas doses de VPP23: Recomenda-se uma dose de VPC13, com intervalo mínimo de um ano após a última dose de VPP23. Se a segunda dose de VPP23 foi aplicada antes dos 60 anos: Está recomendada uma terceira dose depois dessa idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose. Fonte: SBIm  

3. Vacina Herpes zoster


Protege contra a doença herpes zoster, uma doença popularmente conhecida como cobreiro, e complicações como a neuropatia pós-herpética, responsável por dor crônica prolongada de difícil controle. Ela está disponível somente na rede privada de saúde. O esquema vacinal é de apenas uma dose.

4. Vacina Tríplice bacteriana acelular do tipo adulto (dTpa) ou dTpa-vip / Dupla adulto (dT)


A vacina Tríplice bacteriana acelular do tipo adulto (dTpa) previne difteria, tétano e coqueluche. Além das doenças citadas anteriormente, a dTpa-vip imuniza também contra a poliomielite. Já a vacina dupla adulto (dT) protege apenas contra a difteria e o tétano. 
A dT e dTpa estão disponíveis gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) para profissionais da saúde. Já a dTpa e dTpa-vip podem ser compradas na rede privada de saúde.
Segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), sempre que puder, substitua a dT pela dTpa.
Esquema de vacinação para idosos: vacinas Tríplice Bacteriana (dTpa) ou dTpa-vip / Dupla adulto (dT) A recomendação é atualizar dTpa independente de ter intervalo prévio com dT ou TT. Situação: Esquema vacinal básico completo: Reforço com dTpa de 10 em 10 anos.. / Situação 2: Esquema vacinal básico incompleto 1 dose de dTpa e, depois, aplicar 1 ou 2 doses de dT. / Situação 3: Não vacinados e/ou com histórico vacinal desconhecido 1 dose de dTpa e 2 doses de dT. O esquema vacinal recomendado é 0 - 2 - 4 até 8 meses.  

5. Vacina Hepatite B


Ela protege contra a doença hepatite B e é recomendada para idosos que nunca tomaram a vacina ou não possuem o registro dela no seu calendário. O indicado é aplicar 3 doses no esquema 0 – 1 – 6 meses. Ela está disponível tanto na rede pública quanto privada de saúde. 
*Obs: também é possível aplicar a vacina combinada da hepatite A e B que só pode ser encontrada na rede privada de saúde. 

Existe alguma outra vacina indicada para a 3ª idade? 


Algumas outras vacinas não são de rotina, ou seja, podem ser aplicadas em pessoas com risco elevado ou em caso de viagem para um local com um maior número de casos da infecção. Algumas delas são: vacina contra a hepatite A, febre amarela, meningocócicas conjugadas ACWY/C e tríplice viral
Veja em detalhes: 

1. Vacina Hepatite A


A vacina contra a hepatite A, assim como a da hepatite B,  protege contra  infecções no fígado que podem se agravar. Neste caso, infecções pelo vírus da hepatite A. Para os idosos, ela está disponível na rede privada de saúde e a recomendação é aplicação de 2 doses, no esquema 0 – 6 meses. 
*Obs: também é possível aplicar a vacina combinada da hepatite A e B.

2. Vacina Febre amarela 


Protege contra a doença febre amarela. Ela é indicada para idosos que nunca tomaram essa vacina após a avaliação do risco versus benefício de aplicá-la. Essa análise é necessária, porque pessoas com mais de 60 anos têm risco aumentado de desenvolver reações graves, embora seja realmente raro elas ocorrerem. Esse imunizante está disponível na rede privada e pública de saúde. 

3. Vacina Meningocócicas conjugadas C / ACWY


A vacina meningocócica ACWY protege contra doenças meningocócicas causadas pela Neisseria meningitidis dos sorogrupos A, C, W-135 e Y. Ela está disponível para idosos, apenas na rede privada de saúde.
Já a meningocócica C tem uma cobertura menor e protege contra doenças causadas pelo meningococo do tipo C. Em ambas, a indicação é a aplicação de apenas uma dose. 

4. Vacina Tríplice viral 


A vacina Tríplice Viral previne contra o sarampo, a caxumba e a rubéola. Em situações de surtos e viagens, esse imunizante pode ser recomendado a critério médico. Ela está disponível para idosos apenas na rede privada de saúde e a recomendação é tomar uma dose da vacina. 

Como fica a aplicação da vacina contra a Covid-19? 


A indicação é que os idosos façam a aplicação da vacina contra a Covid-19 com o intervalo entre as doses que dependerá do imunizante utilizado. 
Esquema de doses de vacinação para idosos contra a covid-19. Vacina Fiocruz/Universidade de Oxford/AstraZeneca 2 doses com intervalo entre 4 e 12 semanas, Instituto Butantan/Sinovac (CoronaVac): 2 doses com intervalo entre 14 e 28 dias. Pfizer/BioNTech (Comirnaty): 2 doses com intervalo de 12 semanas entre elas.
Em agosto de 2021, o Ministério da Saúde autorizou o reforço, ou seja, a 3ª dose da vacina contra a Covid-19 para idosos com mais de 70 anos que completaram o ciclo vacinal há mais de 6 meses. Ele é válido para quem tomou qualquer tipo de imunizante contra a doença no Brasil e será realizado, de preferência, com 1 dose da Pfizer. 

Depois de aplicar a vacina para idosos contra Covid-19, é preciso esperar 15 dias para tomar outro imunizante? 


Em setembro de 2021, o Ministério da Saúde optou por não exigir mais o intervalo mínimo entre a vacina contra a Covid-19 e os outros imunizantes em uso no Brasil. Então, a Pfizer, Astrazeneca, Coronavac e Janssen agora poderão ser aplicadas simultaneamente com as demais vacinas oferecidas no país ou em qualquer intervalo.

Onde aplicar as vacinas para idosos? 


As vacinas citadas neste post (exceto a dT, Meningocócica C e contra a Covid-19) podem ser encontradas aqui na Beep. Você pode aplicá-las no conforto da sua casa, de domingo a domingo e sem pagar taxa domiciliar. Baixe o nosso app e agende uma visita.

Fontes:


SBIm | Ministério da Saúde |