Recentemente, diversas notícias sobre o surto de meningite causaram preocupação na população brasileira. Para você ter uma ideia, entre 16 de julho e 15 de setembro de 2022, foram registrados cinco casos da doença meningocócica na cidade de São Paulo. De janeiro a 29 de setembro de 2022, houve 272 pessoas com a doença no Brasil, segundo o relatório “Situação Epidemiológica das Meningites no Brasil”, do Ministério da Saúde.
Parece até um número pequeno, mas não deve ser ignorado. Para você ter uma dimensão desse surto, assista à reportagem da TV Globo veiculada no dia 06 de outubro deste ano. Ela contou com a participação da Gerente Médica da Beep: a Dra. Cristiana Meirelles. 
Médica aponta para uma radiografia do cérebro com infecção causada pelo surto de meningite 
A boa notícia é que existe vacina para proteger contra boa parte das meningites bacterianas e alguns tipos da viral. Quer saber mais? Leia o post e fique por dentro das 11 perguntas mais frequentes sobre o assunto.
 

1. O que é meningite? 


A meningite é uma doença causada principalmente por bactérias e vírus, que levam a uma inflamação das membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal, chamadas de meninges. Quando a pessoa está com a doença, alguns sinais e sintomas que podemos suspeitar são:
  • Febre;
  • Dor de cabeça;
  • Rigidez no pescoço;
  • Vômito;
  • Prostração.

Principalmente no caso da meningite bacteriana, o paciente pode ir a óbito ou ter sequelas, como a surdez. A boa notícia é que ela é uma doença prevenida por vacina.

2. Quais são os tipos de meningite? 


Existem diferentes agentes causadores dessa doença, mas as mais importantes são a bacteriana, causada por bactérias (que cursam com quadros mais graves), e a meningite viral, causada por diferentes tipos de vírus, como o da herpes, HIV, caxumba e até da gripe

3. Qual meningite é contagiosa?


A meningite bacteriana e a viral podem ser transmitidas de pessoa para pessoa, principalmente por contato com saliva e secreções respiratórias.

4. Quais são os sintomas da meningite?


Os sintomas da meningite podem variar de acordo com cada indivíduo. De uma maneira geral, a pessoa pode sentir:
  • Dor de cabeça;
  • Febre;
  • Rigidez no pescoço;
  • Náusea;
  • Vômito;
  • Fotofobia (que é o aumento da sensibilidade à luz);
  • E até mesmo ter manchas pelo corpo. 

Se esses sinais surgirem, a orientação é procurar atendimento médico o mais rápido possível. 

5. Qual exame fazer para detectar meningite?


O principal exame para diagnosticar a doença é o líquor (líquido cefalorraquidiano), aquele coletado entre as vértebras da região lombar. O agente causador da doença é detectado por meio desse exame, que também mostra alterações que sugerem se a doença é viral ou bacteriana. Os exames realizados na amostra do líquor são:
  • Aglutinação pelo látex;
  • Bacterioscopia direta;
  • Cultura; 
  • Exame quimiocitológico do líquor;
  • Reação em Cadeia da Polimerase em Tempo Real (qPCR).

Pode ser necessária a realização de exames de imagem, como tomografia ou ressonância, a depender da avaliação médica. 

6. Como se chama a vacina contra meningite?


Não existe uma única vacina contra meningite porque várias delas protegem contra essa doença. 

Nomes de vacinas com proteção para meningite bacteriana: 



Nomes de vacinas com proteção para meningite viral: 


No caso da meningite viral, existem vários vírus que podem causar a doença e não há vacina para todos. Entretanto, as vacinas contra o vírus da caxumba, rubéola, sarampo e gripe protegem evitando a doença por esses agentes. São elas a:

7. Essas vacinas são realmente necessárias?


É de suma importância manter em dia todas as vacinas, porque essa doença é potencialmente grave. Ela aumenta o risco de internação hospitalar, de sequelas no desenvolvimento neurológico de crianças, de perda auditiva e até de óbito. 

8. Qual vacina da meningite não tem no SUS?


As vacinas contra meningite que não estão no SUS são: 

9. Sou adulto. Preciso tomar vacina contra meningite de novo?


A resposta é: depende. Segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), a indicação é: 
Tipo de vacina Indicação
Vacina contra meningite meningocócica
  • Para adultos saudáveis, pode ser recomendada em casos de surto da doença ou se a pessoa for viajar para regiões com grande risco de transmissão; 
  • Já em indivíduos com baixa imunidade (pessoas com Aids/HIV e mau funcionamento ou ausência do baço, por exemplo), podem ter um esquema vacinal diferente que varia caso a caso. 
Vacinas pneumocócicas
  • São indicadas como rotina para idosos;
  • Para pessoas de todas as faixas etárias que têm condições especiais de saúde. 
Vacinas que possuem proteção contra a (Haemophilus influenzae b – HibAdolescentes e adultos só devem se vacinar se nunca se imunizaram antes e tenham: 
  • Alguns tipos de doenças crônicas;
  • Façam tratamento que aumentam o risco da meningite. 
Vacina BCGNão há recomendação para aplicar na vida adulta.

10. A vacina da meningite faz efeito em quanto tempo?


As vacinas são a melhor forma de prevenção contra a doença e cada uma apresenta determinado número de doses e reforços. A proteção depende, além da vacina, do sistema imune de cada indivíduo. 
Ao respeitar os intervalos, o número de doses e os reforços necessários para cada uma, você estará protegido. Lembrando que há casos específicos que precisam da indicação médica; por isso, não deixe de pedir orientação do profissional.

11. Quem já teve meningite pode ter de novo?


Como há diferentes agentes causadores da doença, há sim o risco de ter meningite por mais de uma vez, apesar de raro na literatura médica.

Vacinas contra meningite no conforto da sua casa! 


Você ou alguém que conhece precisa tomar vacinas contra meningite? Aqui na Beep, elas podem ser aplicadas no conforto de casa, de domingo a domingo (inclusive feriados). Temos a vacina contra gripe quadrivalente, meningocócica ACWY e B, Pneumocócica 13, Pentavalente, Hexavalente, Tríplice Viral e outras vacinas particulares. Ah, e temos exames laboratoriais também. Baixe o app e agende uma visita.