Não tem coisa mais gostosa do que segurar a mãozinha do bebê logo depois que ele nasce. É sempre uma alegria olhar aquele ser tão pequeno e ver um pedacinho seu ali. Quando ele nasce antes do tempo, então, surge uma necessidade ainda maior de proteção e de cuidado. Uma forma de conseguir isso é manter o calendário de vacina para bebê prematuro sempre em dia. Entenda no nosso post!

Imagem mostra a mão de um bebê ainda com a identificação do hospital segurando a mão da mãe. Essa imagem representa o post sobre vacina para bebê prematuro.


Menu



O que é bebê prematuro?


Chamamos de bebê prematuro ou pré-termo todas as crianças que nascem antes da grávida completar 37 semanas de gestação. 

Por que nascer antes do tempo é preocupante? 


Cada fase da gestação tem uma função muito importante no desenvolvimento da criança. No 3º trimestre de gravidez, que ocorre entre a 28ª e a 40ª semana de gestação, é o momento em que acontece a transferência de nutrientes da mãe para o filho. Essa troca é essencial, por exemplo, para ajudar o feto a: 
  • Crescer e ganhar o peso ideal; 
  • Desenvolver o seu sistema nervoso. 

Agora, se o bebê nasce antes de passar por essa última etapa, ele pode ter o seu crescimento, desenvolvimento cognitivo e neuropsicomotor prejudicados. Outra consequência grave é o surgimento de complicações relacionadas à prematuridade que podem levar a criança à morte. 

Qual é a importância da vacina para bebê prematuro?


O bebê prematuro é mais suscetível a ter doenças infecciosas, pois geralmente possui  baixa reserva nutricional e tem um sistema imunológico imaturo. O calendário vacinal especial ajuda a garantir uma melhor proteção.

Existe diferença entre o calendário vacinal para prematuros e o recomendado para outras crianças? 


Sim. O calendário vacinal para o 1º ano do bebê prematuro pode incluir a aplicação de doses de algumas imunoglobulinas, como o palivizumabe. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), outra diferença é que o calendário leva em conta diversos fatores, que são: 
  • Diminuição das possíveis reações;
  • Peso;
  • Idade gestacional (nascimento);
  • Risco de descompensação cardíaca e outras doenças;
  • Necessidade de um esquema especial de doses.

Quais são as vacinas para prematuros?


Conheça as vacinas e as imunoglobulinas recomendadas pela Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) para aplicar em bebês prematuros durante o seu primeiro ano de vida. 

1. Vacina BCG


A vacina BCG protege contra a tuberculose e, principalmente, as formas mais graves dessa doença, como: meningite tuberculosa e tuberculose miliar. Deve ser aplicada uma dose única, preferencialmente enquanto o bebê ainda estiver na maternidade. 
Ela só deve ser aplicada caso o peso do bebê, ao nascer, seja igual ou maior do que 2 kg. É necessário que a criança atinja esse peso para a aplicação da vacina. 
Se no histórico da família houver a suspeita da presença da imunodeficiência ou se a grávida utilizou biológicos ao longo da gravidez, a SBIm não recomenda que a vacinação seja feita posteriormente. 
Atenção: a recomendação é postergar a vacina, por ser de microrganismo enfraquecido, e, em alguns casos, ela também é contraindicada. Essa orientação não é só para os prematuros, mas sim para qualquer bebê. 

2. Palivizumabe (Imunoglobulina contra o VSR)


O palivizumabe não é uma vacina e induz a imunização passiva contra doenças causadas pelo Vírus Sincicial Respiratório (VSR), como: a bronquiolite e a pneumonia. 

Veja o esquema de doses recomendadas: 
Público Esquema de doses
Bebês prematuros que nasceram até a 28ª semana de gestação e têm até um ano de idade. 

Devem ser aplicadas até 5 doses 

do palivizumabe, uma por mês, de forma consecutiva.

Crianças prematuras que nasceram

até a 32ª semana de gestação e têm até 6 meses. 

Prematuros de até 2 anos que têm cardiopatia congênita e/ou doença pulmonar crônica da prematuridade. 

Atenção: é preciso que a criança esteja em tratamento contra essas enfermidades há, pelo menos, 6 meses.


3. Vacina contra a Hepatite B 


A vacina contra a hepatite B protege contra a hepatite do tipo B. Crianças prematuras que nasceram antes da 33ª semana de gravidez ou têm menos de 2 kg devem tomar 4 doses. O esquema vacinal recomendado pode ser um desses dois:  0 – 1 – 2 – 6 meses ou 0 – 2 – 4 – 6.  
Atenção: a 1ª dose da vacina contra a hepatite B deve ser aplicada até a 12ª hora de vida do bebê.

4. Vacina contra o Rotavírus


A vacina contra o rotavírus é aplicada por via oral e previne os bebês prematuros contra a diarreia/gastroenterite causada pelo rotavírus. O esquema de doses dessa vacina é o mesmo que o recomendado para as crianças que nasceram no tempo adequado. O ideal é que a 1ª dose seja aplicada no bebê entre 2 meses e 3 meses e 15 dias. 

5. Vacina Tríplice Bacteriana 


A vacina tríplice bacteriana protege o bebê prematuro da coqueluche, difteria e tétano. O esquema de doses é o mesmo recomendado para crianças que nasceram no tempo adequado. A recomendação da SBIm é que a 1ª dose comece quando a criança tiver 2 meses.

6. Vacina Tríplice Bacteriana + Haemophilus influenzae b


Hoje, essas vacinas são realizadas de forma conjugada: 
  • Na rede pública, a proteção contra a infecção por Haemophilus influenzae b está na vacina pentavalente (associada também com a hepatite B);
  • Na rede privada, a proteção contra a infecção por Haemophilus influenzae b está na vacina pentavalente acelular (associada com a VIP) e na hexavalente acelular (associada com a hepatite B e VIP).

7. Vacina contra a Poliomielite


A vacina contra a poliomielite protege a pessoa contra a poliomielite, que tem, como uma das suas complicações, a paralisia. A recomendação de doses é a mesma que foi indicada para crianças que nasceram no tempo adequado. A diferença está relacionada ao tipo de vacina.  
Na rede pública, estão disponíveis as vacinas VIP (injetável) e a VOP (oral), que são recomendadas pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI). Já a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) recomenda que sejam aplicadas as vacinas VIP acopladas em hexa ou pentavalente. 
Tipo de vacina  Esquema de doses 
Vacina contra a Poliomielite (VIP) e (VOP)

3 doses da Vacina VIP. Elas devem ser aplicadas aos 2, 4 e 6 meses. Também é indicada para crianças com menos de 5 anos. 

Reforço com a VOP quando o bebê tem entre 15 e 16 meses e, depois, aos 4 anos. 

Pentavalente 

Devem ser aplicadas 5 doses

 aos 2, 4 e 6 meses. O reforço deve ocorrer quando o bebê tiver entre 15 e 18 meses e, depois, aos 4 anos.


A imagem mostra vários frascos de vacinas sem o rótulo. Eles representam as vacinas para bebê prematuro que devem ser aplicadas na criança.


8. Vacina Pneumocócica Conjugada 10 (VPC10) ou 13 (VPC13)


A vacina pneumocócica 10 (VPC10) protege o bebê prematuro contra 70% das doenças graves causadas por 10 sorotipos de pneumococos, como: pneumonia, meningite e otite. 
Já a pneumocócica conjugada 13 (VPC13) também previne a ação desse agente infeccioso, mas tem uma cobertura bem maior: a proteção é contra 90% das enfermidades graves ocasionadas por 13 sorotipos de pneumococos.
O esquema de doses dessas vacinas é o mesmo recomendado para crianças que nasceram no tempo adequado. A orientação da SBIm é que a 1ª dose seja aplicada quando a criança completar 2 meses.

9. Vacina Meningocócica ACWY ou C


A vacina meningocócica ACWY protege o bebê prematuro contra a ação da bactéria chamada de meningococo dos sorogrupos A, C, W e Y. Esse agente infeccioso causa doenças, como infecções generalizadas e a meningite. A diferença entre a meningocócica ACWY e a meningocócica C é que esse último tem uma cobertura menor e previne contra a ação somente do meningococo do tipo C.
O esquema de doses em bebês prematuros é o mesmo das crianças que nasceram no tempo adequado. A orientação da SBIm é que a primeira dose ocorra aos 3 meses da criança.
Quer saber quais são as outras aplicações previstas? Acesse o calendário de vacinas!

10. Vacina Meningocócica B 


A vacina meningocócica B também previne o bebê prematuro contra doenças causadas pela bactéria meningococo do sorotipo B. A diferença dela para a meningocócica ACWY e C é sua proteção contra a meningite e infecções causadas apenas pelo sorotipo B. 
O esquema de doses da meningocócica B é 2 + 1. O ideal é que a primeira dose dessa vacina seja aplicada aos 3 meses de vida da criança e a segunda aos 5 meses. O reforço deve ser feito quando o bebê tem entre 1 ano e 1 ano e 3 meses. 

11. Vacina contra Gripe (Influenza)


A vacina contra gripe tem o objetivo de prevenir o bebê prematuro contra a gripe causada pelo vírus Influenza. Segundo a SBIm, o esquema de doses para pré-termos é o mesmo das crianças que nasceram no período adequado. O que dá para adiantar é que a 1ª dose deve ser aplicada aos 6 meses. Assim como nas crianças maiores, na primovacinação, o bebê realizará 2 doses com intervalo de 30 dias. 


12. Vacina contra a Febre Amarela 


A vacina contra a febre amarela protege crianças recém-nascidas e prematuras da febre amarela, doença transmitida pela picada de mosquitos como o Aedes aegypti. A 1ª dose deve ser aplicada aos 9 meses e a 2ª quando a criança tem 4 anos. 
Atenção: lembre-se de que, após a criança completar um ano, o calendário vacinal entra na mesma programação dos bebês nascidos a termo (no tempo correto). 

13. Imunoglobulina Humana Anti-Hepatite B (IGHAHB) 


Essa imunoglobulina é indicada para aplicação em bebês prematuros, caso a mãe tenha hepatite B. A recomendação da SBIm é que o bebê recém-nascido prematuro tome a IGHAHB no período entre 12 e 24 horas depois do nascimento. Se não for possível aplicar nesse momento, ela pode ser injetada na criança até ela completar 7 dias de vida. 

14. Imunoglobulina Humana Antivaricela Zoster (IGHVZ)


Essa imunoglobulina, disponível apenas na rede pública de saúde, serve para proteger o bebê do vírus varicela zoster, causador da catapora e do cobreiro
Para quem é indicado  Quantidade de doses
Crianças que nasceram quando a grávida estava entre a 28ª e 36ª semana de gestação. Esses bebês precisam ter sido expostos à varicela. 1 dose que deve ser aplicada no recém-nascido prematuro até ele completar 4 dias de vida (96 horas). 
Bebês que nasceram com menos de 1kg ou antes da mãe completar a 28ª semana de gravidez. Essas crianças precisam ter sido expostas ao vírus varicela. 

Se a mãe do bebê tiver varicela 5 dias antes do parto ou 2 dias depois, deve-se aplicar no prematuro a IGHVZ. 

Essa recomendação é feita independentemente do peso do bebê ou em qual semana de gravidez ele nasceu.  


15. Imunoglobulina Humana Antitetânica (IGHAT)


A IGHAT é uma imunoglobulina que está disponível somente na rede pública de saúde. A indicação da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) é que seja aplicada uma dose em bebês prematuros que tenham lesões potencialmente tetanogênicas ou em recém-nascidos com risco potencial de tétano.

Enfrentar filas para aplicar vacinas e imunoglobulinas com um bebê no colo não é nada confortável!


A gente pode facilitar a sua vida! 💚 Chame a nossa equipe para aplicar vacinas e imunoglobulinas no conforto da sua casa. Acesse o nosso site e veja quais vacinas particulares estão disponíveis. Ah, o nosso atendimento é feito de domingo a domingo e sem cobrar taxa domiciliar. #FazUmBeep!